Gastronomia

Conheça dez canais de gastronomia imperdíveis no YouTube

Comida ogra, receitas econômicas, vegetarianismo e experiências estão no cardápio

Gustavo Leão, de Agência O Globo
- Atualizada em

A gastronomia sempre foi amiga do vídeo. Mas foi a chegada do YouTube que libertou o cozinheiro amador das limitações dos programas do gênero na TV. Tem um ingrediente exótico nas mãos e não sabe como preparar? Basta fazer uma busca específica. Ou se sente intimidado pelo conhecimento dos chefs superstars dos reality shows? É só procurar alguém mais acessível na plataforma para se identificar.

Para facilitar a tarefa de navegar pela vastidão de conteúdo de culinária no streaming, selecionamos dez canais imperdíveis sobre o tema no YouTube, sete brasileiros e três em inglês. Tem do cientista louco da cozinha a dicas de como cozinhar com pouco. Encontre abaixo o que mais tem a ver com você.

Ana Maria Brogui
Pioneiro do gênero no YouTube e um prodígio de popularidade, com 3,2 milhões de inscritos. Parte do sucesso está na vocação do publicitário paulista Caio Novaes para hackear receitas famosas, como Doritos, Yakult, a cebola empanada do Outback e o famoso molho secreto do Big Mac. Desde a criação do canal, em 2006, a cozinha melhorou e o merchandising cresceu, mas os vídeos não perderam sua essência ogra. O apresentador também registra a vida, incluindo a recuperação de uma cirurgia bariátrica, em 2016.

Banquete

Os gaúchos Mariana Moura e Frederico Leonardo Dora foram unidos pela gastronomia e pela plataforma Tastemade, onde trabalham. Neste canal, criado em 2014, eles fazem receitas comfort (ou da vovó, em bom português) com sofisticação de chef. E também erram, gargalham, provocam um ao outro, com a intimidade de velhos amigos. As receitas são divididas em séries temáticas e temporadas, incluindo algumas gravadas em um sítio com atmosfera caseira e luz natural. É "vibes" que fala?

Canal da Bela
Vai muito além de um canal de receitas. Hoje, Bela Gil também é referência em estilo de vida saudável e maternidade. Entre as séries de culinária, há uma dedicada às lancheiras da filha, Flor, outra para as marmitas do marido, JP, e uma para as papinhas do filho, Nino. A apresentadora também dedica vídeos para as propriedades de ingredientes menos conhecidos, como a alfarroba e a batata yacon. Em outros, ela reflete sobre temas da sustentabilidade, como o desperdício de alimentos.

Danielle Noce
A estilista brasiliense, que morou em Paris e se formou pela prestigiosa École Lenôtre, virou referência de confeitaria com o site I Could Kill for Dessert. No canal do YouTube, ela prepara bolos e tortas tão coloridos quanto o cenário dos vídeos. Mas não só. Ela também mostra um pouco da vida ao lado do marido Paulo Cuenca, com quem faz séries de viagem com apelo foodie. Volta e meia pinta uma receita salgada por lá, como a de coxinha de frango. São nada menos que 2,3 milhões de seguidores.

Dulce Delight Brasil
Antes de virar apresentadora de TV com o "Rainha da cocada", no GNT, Raíza Costa já ensinava confeitaria avançada no YouTube. A chef, que mora em Nova York, onde cursou o French Culinary Institute, começou com um canal em inglês. Em seguida, criou um específico para o público brasileiro, dublando suas receitas. Hoje esse é seu principal veículo, com conteúdo produzido em português e vlogs de cotidiano. Fã dos orgânicos e da comida de verdade, ela costuma abrir mão do maquinário complicado para fazer seus doces. As soluções visuais e a palheta de cor dos vídeos são de encher os olhos.

Gastronomismo
Com cabelos coloridos e fala bem pau-sa-da, a cozinheira Isadora Becker é especialista em compilações de receitas com ideias criativas. Já ensinou, por exemplo, pratos inspirados em filmes, séries de TV, folclore brasileiro e até uma cheesecake de mirtilo com pinceladas de cor à la Van Gogh. A apresentadora tem a habilidade de descomplicar preparações de sabores complexos como o lámen, a sopinha de macarrão japonesa. O sotaque gaúcho pontuado de "tus" é um charme a mais.

Presunto Vegetariano
O nome estranho surgiu das desventuras da designer e fotógrafa Paula Lumi como vegetariana em estabelecimentos onde a opção dita sem carne "só leva presunto e queijo". Mas isso foi em 2011, quando o canal nasceu e o vegetarianismo ainda não era tendência. Até hoje, porém, a apresentadora faz questão de ser bem didática, com opções básicas para quebrar o galho dos recém convertidos. Isso inclui leites vegetais, "maionese" de couve-flor e quibes variados. Só não espere criações de chef.

E três em inglês:

Alex French Guy Cooking
Alexis Gabriel Ainouz, ou simplesmente Alex, é um geek com alma de cientista louco da comida e fãs como Jamie Oliver. Em sua cozinha-laboratório, já decifrou como se faz vinho, queijo e pão de fermentação natural em casa. Seu estilo nada tem de professoral: ele aprende tentando (e errando muito) enquanto ensina. E não deixa de pedir ajuda a quem entende. Volta e meia, faz os próprios utensílios com o que tem em casa. Nada mais divertido do que ver o apresentador francês embarcar em uma nova obsessão.

Bon Appétit
A cozinha de testes da revista americana é uma animação só. É dividida em baias, onde sempre múltiplos chefs estão trabalhando e interagindo, como uma casa BBB da gastronomia. Cada cozinheiro tem uma especialidade: Claire é mestre em copiar laricas industriais como Cheetos e KitKats, Brad é o ás da fermentação, Andy ensina receitas sofisticadas, e por aí vai. O canal também é famoso pela série Kids Try, com crianças provando comidas que não conhecem.

Brothers Green Eats
Jovens, com jeitão hipster, os americanos Josh e Mike Greenfield são dois cozinheiros autodidatas que ensinam como fazer muito como pouco. A especialidade dos irmãos é a culinária caseira, de pratos rápidos e econômicos. Entre seus desafios, está a de preparar uma refeição mais barata que um lanche do McDonald's ou que uma pizza da Domino's usando só ingredientes frescos. Ou ainda cozinhar quatro pratos gastando apenas 4 dólares. É um canal ideal para quem está começando a vida perder o medo das panelas.