Empreendedorismo

Conheça startups baianas de sucesso e saiba o que elas fizeram para alavancar os negócios

iBahia conversou com os diretores executivos Moacy Veiga, da Kinvo, Rafael Caribé, da Agilize, e Ubiraci Mercês, da Sanar, sobre o ecossistema de startups em Salvador

Lívia Oliveira (livia.oliveira@redebahia.com.br )
- Atualizada em

Oferecimento
As startups estão cada vez mais presentes no cotidiano dos brasileiros. Elas nascem da união de criatividade e inovação para solucionar um problema real que, na maioria das vezes, usa a tecnologia como principal ferramenta de atuação. Segundo dados da StartupBase, mensurados em tempo real, já são cerca de 13.473 startups distribuídas entre 679 cidades do país, inclusive Salvador ocupa uma posição privilegiada neste ranking. A capital baiana é a oitava cidade com mais startups. 

Em geral, as startups estão associadas a um crescimento acelerado que as permite se destacar no mercado de forma mais rápida e eficiente em comparação a uma pequena ou média empresa tradicional. 

O sucesso delas pode ser associado a algumas características comuns. Entre elas: preocupação em sempre desenvolver novas soluções e melhorar a experiência do cliente, comprometimento com o trabalho em equipe, liderança forte e foco em expandir cada vez mais as fronteiras de atuação. 

Para entender como funciona o ecossistema de startups, principalmente em Salvador, o iBahia conversou com os diretores executivos (CEO) Moacy Veiga, da Kinvo, Rafael Caribé, da Agilize, e Ubiraci Mercês, da Sanar. 

Moacy Veiga, CEO da Kinvo | Foto: arquivo pessoal

Conheça mais sobre as startups 

O Kinvo  é uma fintech da área de investimentos criado em 2017 com o objetivo de possibilitar o usuário enxergar de forma organizada e transparente todos os seus investimentos. Com cinco sócios e uma equipe de 36 funcionários, a startup tem cerca de 700 mil usuários cadastrados em seu aplicativo. "O principal objetivo da a gente é ajudar a educar os investidores para que eles façam melhores investimentos", pontua Moacy Veiga. 

A Agilize  é uma empresa de contabilidade online lançada em 2013 voltada, principalmente, para atender as demandas contábeis de micro e pequenas empresas. Com seis sócios e uma equipe com mais de 170 funcionários espalhados por todo país, a startup atende mais de 10 mil clientes. "A gente cresceu muito do lançamento até aqui e estamos trabalhando para fazer a empresa crescer e levar o nome da Bahia pelo Brasil afora", avalia Rafael Caribé. 

A Sanar   é uma startup de educação e tecnologia em saúde criada em 2014 com o objetivo de direcionar e preparar o profissional de saúde para cada fase da sua carreira. Com três sócios e uma equipe com cerca de 320 pessoas, a startup já atendeu mais de 230 mil clientes e se faz presente em todo Brasil, com usuários até mesmo de outros países. "Desejamos continuar entregando soluções que ajudem a elevar a capacidade do médico no mundo, desde conteúdo para sua formação até financiamento em momentos mais críticos", afirma Ubiraci Mercês. 

Mercado de startups e a pandemia do novo coronavírus 

Ao iBahia, os três CEOs contam que tiveram resultados positivos no ano de 2020, mesmo com a crise econômica provocada pelo novo coronavírus. De aumento na base de clientes a abertura de vagas de emprego, os gestores pontuam mudanças de hábitos fruto da pandemia que estão sendo benéficos para o negócio. 

Rafael Caribé e os sócios - Rafael Viana, Ernesto Amorim, Marlon Freitas, Thiago Colares e Adriano Fialho | Foto: arquivo pessoal

Setor investimentos: "Com a taxa de juros negativa e o baixo retorno de aplicar o dinheiro na poupança, as pessoas estão começando a buscar oportunidades e investimentos alternativos - variáveis, em bolsa, criptomoedas, etc", analisa Moacy. 

Setor financeiro: "A pandemia forçou as empresas a saírem da sua zona de conforto para procurar soluções que melhor se adequassem as suas necessidades e ao seu bolso", explica Rafael. 

Setor de empreendedorismo: "Os custos para criar uma empresa diminuíram e a tecnologia tem permitido investir pouco e alcançar o Brasil inteiro. É um bom momento para começar um negócio em Salvador, que tem uma densidade de talentos muito boa", avalia Ubiraci. 

Geração de empregos: os três gestores garantem que a obrigatoriedade do trabalho remoto para garantir a saúde dos funcionários têm sido um grande incentivo para contratar profissionais de todo país e diversificar os times da empresa. 

Negociações: as ferramentas tecnológicas usadas para gerir os negócios, fazer planejamentos, se comunicar com pessoas e acompanhar a produção estão encurtando cada vez mais as distâncias. Agora, não precisa mais se deslocar para outra cidade para conseguir investidores ou mesmo fisgar novos clientes. As reuniões on-line estão mantendo todos sempre conectados.

Vantagens e dificuldades de empreender em Salvador 

Além de seguir as características comuns para ter uma startup de sucesso, os empreendedores entrevistados pelo iBahia possuem mais um fato em comum: o orgulho de ser baiano e de ter sede em Salvador. 

Para Ubiraci Mercês, uma das principais vantagens de Salvador são as pessoas. "A cidade tem uma potência humana muito grande. As pessoas têm uma história, uma capacidade de fazer as coisas e uma criatividade que são incríveis. A gente acredita muito no potencial da Bahia como celeiro de talentos, o que falta é distribuir as oportunidades", afirma o CEO da Sanar. 

Na entrevista, inclusive, Ubiraci explica que a startup começou com uma equipe muito jovem e que eles chegaram a ir nas faculdades da região para recrutar pessoas talentosas. "Foi super estratégico para gente estar em Salvador, principalmente no início, porque não tinha tanta concorrência de talentos, a gente conseguiu atrair pessoas talentosas que não eram experientes e pagar bem", relembra. 

Ubiraci Mercês, CEO da Sanar | Foto: arquivo pessoal

Moacy analisa as vantagens pela ótica da infraestrutura da cidade. "Salvador é uma cidade que ainda tem um custo de vida bom quando analisamos o preço dos imóveis, o valor dos aluguéis e até a qualidade de vida (se comparado com outras cidades do país, como São Paulo). Além disso, fica localizada a 8 horas da Europa, com voos direto para Portugal e Espanha, tem também voos para os EUA, isso torna o lugar central". O CEO da Kinvo também conta que a capital baiana tem alguns benefícios fiscais para startups.

Rafael Caribé aproveita para reforçar a importância das novidades para as startups na região. "Com o tempo surgiu o Hub Salvador (comunidade de empreendedorismo e  inovação), o Parque Tecnológico da Bahia e diversas outras iniciativas que colaboram para o crescimento do ecossistema de startups aqui".

Mas, como nem tudo são flores, os empreendedores acreditam que a cidade ainda pode melhor muito mais. Ter uma área de inovação e empreendedorismo na prefeitura cada vez mais atuante, incentivo para formação de profissionais para atuar na área de tecnologia e ter iniciativas que promovam uma maior circulação de ideias e de dinheiro foram alguns dos pontos citados nas entrevistas. 

Os três gestores se dizem confiante para que os problemas citados anteriormente sejam sanados. Além disso, eles apostam que Salvador vai se tornar o lugar cada vez mais atraente para abrir negócios, investir dinheiro e também para vim trabalhar. 

O que esperar dessas startups no futuro? 

Kinvo: "Pretendemos dobrar o tamanho da equipe até o final do ano para continuarmos ajudando os usuários a investirem melhor. Os investidores são muito tradicionalista, mais de 90% dos brasileiros têm dinheiro em bancos tradicionais e não investem por medo de correr riscos. O nosso maior objetivo é ensiná-los a mitigar os riscos e maximizar os resultados investindo", releva Moacy. 

Agilize: "Almejamos ser a empresa de referência em contabilidade no Brasil. A gente quer atender 500 mil, 1 milhão de empresas, com a tecnologia e o serviço que a gente já oferece. Vamos continuar trabalhando para crescer a contabilidade de pequenos empresários de todo brasil", conta Rafael. 

Sanar: "A ideia é que até o final do ano a gente tenha um time de 520 a 600 pessoas. Exatamente para que a gente consiga continuar a entregar soluções que facilitem a jornada dos profissionais de saúde", afirma Ubiraci, que aproveitou a ocasião para falar sobre o Sanarflix, plataforma de conteúdo médico de qualidade com preço acessível, que já tem 1/3 dos estudantes de medicina do país cadastrados e outros universitários espalhados pela América Latina.