#todosjuntos

Coronavírus: McDonald's doa refeições para profissionais de saúde

Em Salvador, o Hospital da Bahia e a Secretaria de Saúde de Feira de Santana foram beneficiados por meio do programa Bom Vizinho

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Desde a descoberta do Coronavírus, a população no mundo inteiro tem contado com a dedicação e o trabalho incansável dos profissionais de saúde, que lutam para salvar vidas e manter o bem-estar de mais de 400 mil pessoas afetadas globalmente até agora.

Pensando em apoiar essas pessoas que estão na linha de frente dessa grande batalha, a Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald's no mundo, vai doar refeições aos profissionais de saúde de instituições distribuídas por todo o país. Com a ação, 29 instituições receberão produtos da rede em 22 cidades.

Em Salvador, o Hospital da Bahia e a Divisão da vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde de Feira de Santana receberam no total 246 produtos a serem distribuídos aos seus profissionais de saúde por meio do programa Bom Vizinho, uma iniciativa da Arcos Dorados que busca contribuir em diversas frentes com as comunidades onde a companhia atua.

“Os nossos colaboradores responsáveis pelo preparo das refeições têm enviado mensagens de apoio e agradecimento junto às entregas. Essa é uma atitude que nos enche de orgulho e reflete o caráter humano que buscamos ressaltar no dia a dia de nossa companhia”, comenta Paulo Camargo, presidente da Divisão Brasil da Arcos Dorados. “Acreditamos na união de forças para que o país possa superar esse período crítico causado pela pandemia” complementa.

As doações tiveram início no último fim de semana, com a entrega de produtos em São Paulo. A ação será expandida para outras praças brasileiras ao longo desta semana por meio do programa Bom Vizinho, uma iniciativa de voluntariado e apoio à comunidade que tem mais de 15 anos de atuação, contabilizando mais de 100 mil ações. 

As entregas estão sendo realizadas em veículos de grande capacidade, evitando a circulação excessiva de motos e entregadores nos hospitais.