Tecnologia

Criador do WhatsApp foi faxineiro e passou dificuldades na adolescência

História de superação foi contada à revista Forbes

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Volta e meia surgem na internet histórias de superação, sejam física ou financeiramente. Mas e quando um garoto pobre se transforma em um bilionário por causa de um dos aplicativos mais usados do mundo?

O ucraniano Jan Koum tem uma história e tanto: nascido em um vilarejo próximo a Kiev, na Ucrânia, o rapaz foi para os Estados Unidos aos 16 anos de idade, junto com a sua mãe. Tanto a alimentação quanto a moradia foram dadas pelo governo dos Estados Unidos. O auxílio não era suficiente, então tanto ele quanto a sua mãe trabalhavam fora (ela como babá e ele como faxineiro em um mercado), até que ele conseguiu uma vaga na Universidade de San Jose. Apesar da oportunidade, ele não conseguiu completar o curso.

Foto: Reprodução
Mas a vida deu uma reviravolta e ele entrou para a equipe do Yahoo!, onde trabalhou entre os anos de 2000 e 2007. Lá, conheceu Brian Acton, o co-fundador do WhatsApp - lançado em 2009.

Com o sucesso do aplicativo, muitas empresas se interessaram e quiseram comprar (inclusive o Google, que ofereceu US$ 10 bi), mas quem levou o app pra casa foi o Facebook, que adquiriu por 22 bilhões de dólares, em 2014.

Koum tem uma vida bastante reservada: mora na mesma casa de sempre e o único "gasto" luxuoso que tem é com carros. Segundo ele, a sua vida mudou em apenas 10% desde que ficou bilionário. Ele anunciou a sua saída do WhatsApp no começo de 2018.

Toda a trajetória do rapaz foi contada em uma entrevista à Forbes. O WhatsApp atualmente conta com mais de 1 bilhão e 500 milhões de usuários ativos por dia e mais de 70 bilhões de mensagens trocadas diariamente.