Fitness

Cross combat box: modalidade junta treino funcional com artes marciais

Aula tem duração de uma hora, dividida em três etapas chamadas de zonas verde, amarela e vermelha

Agência O Globo

Treino de atleta adaptado para qualquer tipo de pessoa. Este é o lema do cross combat box, modalidade que une movimentos de artes marciais com circuitos de treinamento funcional. Nele, são trabalhados exercícios aeróbicos e isométricos (que são feitos “parados” e visam aumentar a resistência). Foi de olho nesta metodologia que o estudante de letras Altair Neto, de 25 anos, começou a treinar no início de maio.

— Como não posso fazer atividades de muito impacto nem esforço acima da linha do pescoço, escolhi o cross combat box. Ele me dá a possibilidade de adaptar os exercícios à minha realidade. Não perdi peso na balança, mas percebi que minhas medidas diminuíram pois agora entro em roupas que não entrava antes — conta o jovem que fraturou o pescoço e a coluna cervical quando tinha 12 anos e, há cinco meses, está curado de um câncer no testículo.


A aula tem duração de uma hora, dividida em três etapas chamadas de zonas verde, amarela e vermelha. Cada uma delas é pautada na frequência cardíaca do aluno e executada com movimentos ginásticos, levantamento de peso e exercícios metabólicos como a remada.

— Esta modalidade está na mesma linha que outras duas bem comuns no mercado: o treino de queima de calorias e o crossfit. Aqui usamos um frequencímetro para aferir a frequência cardíaca do aluno e basear o treino de acordo com a capacidade dele naquele dia — explica Thiago Cardoso, professor de educação física e responsável por implementar a atividade na academia.

O risco de lesões nessa modalidade é baixo, como afirma o ortopedista Antonio Polaco. — Como é uma atividade teoricamente de artes marciais, mas sem contato físico, há baixo risco de lesões. É preciso ter liberação de um cardiologista e um ortopedista para iniciar a prática.

Benefícios

Emagrece

Os exercícios aeróbicos propostos no treinamento e baseados na frequência cardíaca do aluno fazem com que o corpo continue queimando calorias mesmo horas depois do fim da atividade.

Tônus muscular

O treinamento fortalece os músculos e aumenta a capacidade e a força deles. Os resultados são observados aos poucos.

Resistência

Exercícios isométricos ajudam a aumentar a resistência dos músculos. Assim, o aluno torna-se capaz de realizar diversas atividades com mais segurança.

Previne lesões

Músculos fortes e resistentes são menos suscetíveis a lesões. Além disso, os exercícios do cross combat box são realizados de acordo com o limite físico do aluno o que diminui as chances de problemas nos músculos e articulações.

Melhora o condicionamento

O trabalho baseado na frequência cardíaca melhora o condicionamento físico do aluno. Os exercícios sugeridos, por fazerem parte de um treinamento funcional, reforçam os músculos mais usados para atividades do dia a dia como levantar objetos mais pesados.