Empreendedorismo

Cultura de consumo em brechós invade o Instagram

A criação de contas no aplicativo para vendas virou moda

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Os brechós voltaram a fazer parte da rotina da pessoas. Peças em bom estado por um preço mais acessível têm atraído muitos consumidores, mas se antes era preciso ir até o local para poder comprar, hoje as coisas ficaram um pouco mais fáceis. Mutas blogueiras já vinham colocando em prática os brechós virtuais, caiu tanto no gosto popular que não é preciso ser uma digital influencer para vender.

Foto: Divulgação

Receber notificações no celular de solicitações de brechós e bazares para seguir no Instagram tem sido comum. Muitas pessoas estão abrindo contas para poder vender ou trocar suas peças, alcançando um público maior e facilitando a comunicação por meio de mensagens com os clientes. São postadas fotos com a descrição: tamanho, preço e marca. Assim, é possível saber o estado dos produtos. O serviço de brechó online, muitas vezes, inclui "frete grátis". Finalizando a compra, pontos de encontros são marcados em locais públicos para efetuar a entrega, desse modo fica mais dinâmico comprar. 


Bianca Oliveira, estudante de Letras, 20, prefere optar por compras em brechós. "Acabo comprando bastante em brechós e bazares porque as roupas saem mais em conta. Consigo encontrar uma roupa de marca, por exemplo, por menos da metade do preço. Já comprei peças lindas por R$5, não tem como competir com loja de departamento, pra mim", conta.