Viver Bem Itaparica

Dez coisas que você precisa conhecer em Itaparica além das praias

Do Centro Histórico à famosa Fonte da Bica, Ilha de Itaparica oferece destino turísticos que, uma vez visitados, vão ficar guardados em sua memória

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Quem disse que ir à Ilha de Itaparica é ficar somente restrito às praias que ela pode oferecer? Se você acha que isso é uma verdade absoluta, está enganado. Desmistificando esse pensamento, separamos dez coisas que você precisa conhecer na região, além das águas calmas e cristalinas.  Mais do que um roteiro turístico, é uma obrigação. 

Restaurante Manguezal
Localizado na Praia do Brasileirinho, no município de Itaparica, no meio de uma reserva de mata, o restaurante recebe todas as escunas que fazem trajetos pela Baía de Todos os Santos. Harmonizado com a natureza, o local oferece uma pegada ecológica que se une com os sabores que o mar pode oferecer.

Para quem chega pela cidade, é preciso estacionar o carro a pouco metros de distância do manguezal e tirar seus sapatos, se você não quiser molhá-los. Após atravessar esse pequeno trecho de água, você encontra um ambiente diferenciado, com uma areia branca e macia e uma vista inigualável. Para quem chega de escuna, o estabelecimento conta com três barcos que estão sempre a serviços de seus clientes. Tomando como ponto de partida o terminal do ferryboat, a distância é de cerca de 7km. 

Restaurante Manguezal. Foto: Tripadvisor/Divulgação

Igreja de Baiacu
Ela é a terceira igreja construída no Brasil. Conhecida também como Igreja de Nosso Senhor de Vera Cruz, a Baiacu hoje está em ruínas, mas suas paredes estão todas seguras por um árvore chamada gameleiras. O mais importante monumento histórico de Vera Cruz foi literalmente tragado pelos troncos e raízes de uma gigantesca árvore que nasceu dentro da edificação.

O resultado dessa estranha e secular simbiose é que atualmente não é possível distinguir se é a árvore que se apóia sobre as paredes ou se é o prédio que só se mantém em pé graças ao suporte da árvore. Para conhecer essa obra parte ‘construída’ pela natureza e parte pelos homens, você deve ir até a Baiacu, que fica cerca de 10 km da estação do ferryboat. 

Igreja de Baiacu. Foto: Divulgação

Centro Histórico e casa de João Ubaldo Ribeiro
Localizado na cidade de Itaparica, o Centro Histórico desse município foi tombado primeiro que o Centro Histórico de Salvador, em 1980. O local guarda construções do século XVII e XVII, com casas antigas de estilos neoclássicas, possuindo como parte desse conjunto a Igreja Santíssimo Sacramento (Igreja Matriz), Igreja de São Lourenço, Casarão Tenente João das Botas (combatente na guerra da independência de Itaparica), Casarão Solar Del Rei e fortaleza de São Lourenço, construídas por portugueses e tomada por holandeses.

Centro Histórico de Itaparica. Foto: Guriestradeiro

Nesse local, em frente ao forte, eram comercializadas as baleias, que movimentaram a economia do século XVII. O Centro Histórico é local também da casa de um dos maiores escritores do Brasil; João Ubaldo Ribeiro e na praça da Quitanda, onde ele tinha suas inspirações para escrever seus livros. Para conhecer esse local, você vai percorrer cerca de 10 Km, no sentido Nazaré das Farinha.

Casa de João Ubaldo Ribeiro

Reserva de Venceslau
Essa é uma área de proteção ambiental de Mata Atlântica. Venceslau, homem que deu o nome ao local, sofria de cegueira e voltou a enxergar banhando-se das águas da reserva. Por conta disso, o senhor que teria morrido na década de 60, passou a ser um dos maiores defensores do lugar, morando na região.  Moradores afirmam que o caso realmente aconteceu e sua família, ainda viva, conta que a história é realmente verídica.

Além disso, a Reserva de Venceslau é um lugar de muita beleza, apropriado para repor as energias. Em Venceslau, você pode fazer trilha, conhecer a Fonte dos Milagres (utilizada por Venceslau) além de visitar a casa onde o mesmo morou e a capela de Nossa Senhora do Amparo. A reserva fica cerca de 1,5 Km da estação do ferry, na localidade de Porto dos Santos.

Fonte da Bica
Essa famosa fonte é a primeira instância de água hidromineral do Brasil. Ela foi utilizada nos anos 40 para o incentivo do turismo, ligado a saúde no país. Há quem diga que ela serve para os rins, baços e fígado. Os moradores afirmam que suas substâncias minerais ajudam as pessoas a ficarem saudáveis. Sua principal propriedade medicinal é diurética.

Fonte da Bica, na Ilha de Itaparica

Lendas afirma que essa fonte, localizada acima da Itaparica Marina (Centro Histórico de Itaparica) é rejuvenescedora. Desse ponto histórico, que vem o ditado “Eh água fina, faz velha virar menina”. Atualmente, a Bica gera mais de 24 mil litros de água por dia, fornecendo água mineral para toda sua população. Seu nome surgiu porque todo líquido gerado no local descia de um bambuzal. 

Os Guaranis
Buscando preservar a cultura do povo indígena, os Guaranis é um grupo de caboclos que não deixam de lado os costumes dos primeiros moradores da Ilha. Nos dias de festa, eles sempre fazem algum tipo de apresentação. Quem quiser conhecer o grupo precisa marcar com o representante e acompanhar os ensaios que acontece dentro da mata. As apresentações que são realizadas pelo grupo são chamadas de Roubada da Rainha. Uma história que conta a paixão entre a rainha indigna e o capitão do mato.  O melhor dia para conhecer essa manifestações culturais é quando acontece os festejos da independência de Itaparica, entre 7 a 9 de janeiro. 

Marina de Itaparica, um dos mais belos pontos turísticos da Ilha

Itaparica Marina
Localizada na orla de Itaparica, o lugar com fácil atracagem e com vista maravilhosa possui boas condições para atividades náuticas. Ótimo lugar para passar algumas horas e aproveitar peixes e demais frutos do mar. Além do cais, o local tem estrutura de apoio com restaurantes, lojas de artesanatos, sanitários e caixa 24 horas. O visual da Baía de Todos os Santos dá um charme diferenciado ao local. A marina localizada dentro da cidade Itaparica costuma receber muitas competições de vela e remo, alem de passeios para Ilha dos Frades e Cacha Prego. 

Manguezal do Mocambo
Comunidade Quilombola (2 Km do centro da cidade) que oferece aos visitantes o turismo de base comunitária, que consiste em passeios pelo manguezal com as marisqueiras local, aprendendo a arte da pesca e degustando suas iguarias, além do famoso banho de lama. Para ter essa experiência, é preciso dedicar um dia inteiro e entrar em contato com a associação das moradores e marisqueiras da comunidade do Mocambo.