Economia

Dez dicas para economizar em sua próxima viagem

De passagens aéreas a hotéis mais baratos, saiba como cortar gastos nas ferias

Eduardo Maia, de Agência O Globo
Quem nunca ouviu a máxima "viajar é a única coisa que você compra e te deixa mais rico"? Claro que a riqueza aqui é metafórica. Mas é possível pôr os pés na estrada sem sentir tanto no bolso. Boas doses de planejamento, desprendimento e paciência podem render uma economia significativa ao viajante. A seguir, listamos dez dicas de como economizar na sua próxima viagem, sempre lembrando que sempre segurança é fundamental e o mínimo de conforto também:
Foto: Divulgação/ Airbnb
PASSAGENS AÉREAS

1- ATENÇÃO AOS PROGRAMAS DE MILHAGEM
Um dos desafios do viajante contemporâneo é administrar o grande número de programas de fidelidade presentes no mercado, cada um com um tipo de acúmulo e resgate diferente. Por isso, especialistas recomendam concentrar as atividades em até dois grandes planos, o que facilita a acumular e a resgatar pontos ou milhas.
E se a ideia adquirir um cartão de crédito para aumentar o número de pontos, observe sua condição financeira: os que dão as melhores vantagens cobram anuidades altíssimas (de R$ 800 para cima). Cuidado para não se comprometer com um gasto a mais justamente por querer economizar.
2 - COMPRE VOOS PARA DIAS DE SEMANA
Há muitos mitos sobre o melhor momento para comprar passagem aérea. Mas uma coisa é certa: as tarifas descem quando a procura é mais baixa. Isso acontece normalmente no meio da semana. Em geral, um voo quarta-feira à tarde é mais barato que um sábado pela manhã ou domingo à noite. O mesmo vale para os feriados: viajar na véspera é sempre mais caro que na própria data festiva. E, claro, não deixe para comprar em cima da hora: especialistas comentam que o melhor momento para reservar o lugar em voos domésticos é entre 40 e 25 dias antes da viagem e, para fora do Brasil, de quatro a três meses.

3 - RECEBA ALERTA DE PASSAGENS COM DESCONTO
Plataformas digitais que comparam tarifas aéreas, como Kayak, Skyscanner e Voopter, possuem alertas de promoções e tarifas baixas, que avisam o usuário quando os bilhetes para seus destinos de preferência se encontram abaixo da média. Já sites como o Melhores Destinos são boas fontes de informação a respeito de promoções de passagens, que acontecem com muita frequência. Além dos próprios canais das companhias aéreas, tanto em suas páginas na internet quanto em seus perfis nas redes sociais.

HOSPEDAGEM

4 - DÊ CHANCE A NOVOS BAIRROS
Diárias nos bairros mais centrais ou que concentram os principais atrativos turísticos costumam ser bem mais caras que outras áreas da cidade. Claro, você não precisa buscar um quarto em uma zona periférica ou colado ao aeroporto, onde provavelmente o tempo de deslocamento diário não compensaria a economia na hospedagem. Mas vale a pena pesquisar locais alternativos, não tão distantes e atraentes por si só. Em Nova York, por exemplo, uma boa opção é ficar em Long Island City, no Queens, a apenas uma estação de metrô. Em Paris, a região do Canal de St-Martin, no 10° arrondissement, oferece opções mais baratas também não tão distante da orla do Sena.
5 - BUSQUE OPÇÕES DE HOSPEDAGEM
Trocar hotéis por apartamentos é uma maneira comprovada de economizar. Seja para quem viaja sozinho, que pode alugar um quarto apenas e conhecer um pouco melhor o estilo de vida local, seja para quem está em casal, família ou grupo de amigos, que consegue se organizar melhor em um apartamento ou casa inteiro. As plataformas de aluguel por temporada, como Airbnb, tanto já são uma realidade que influenciam empresas originalmente focadas apenas em hotéis, como a Booking.com, que hoje lista mais de 50 mil unidades desse tipo. Mas essas não são as únicas opções alternativas de hospedagem. Sites como o Home For Exchange permitem viajantes trocarem de casas. E plataformas como Worldpackers oferecem possibilidades de hospedagem em troca de trabalho.
6 - USE "MACETES" DOS HOTÉIS
Claro que também há maneiras de economizar ficando em hotéis. Uma boa maneira é usando a política de "melhores tarifas garantidas", presente nas principais redes hoteleiras. Como funciona: se o viajante encontrar uma tarifa mais baixa em um site que não o do hotel em questão (como Booking.com, Kayak, Expedia e Tripadvisor), pode pedir para que a rede cubra essa oferta. O pedido é feito através de um formulário on-line e, em muitos casos, quando aceito, vem acompanhado de um bônus, que pode ser um desconto, um crédito ou até mesmo uma diária grátis. Algumas das redes que possuem esse serviço são Hilton, Marriott, Hyatt, Accor, Starwood e Bestwestern.
Em geral, para usar desse serviço, é preciso fazer parte dos programas de fidelidade das redes. O que também é uma boa opção, porque a inscrição é gratuita e os membros conseguem "mimos" como wi-fi grátis (a curto prazo) e diárias gratuitas (a longo prazo).
PLANEJAMENTO

7 - PLANEJE SUA CONVERSÃO MONETÁRIA
Com o Real cada vez menos estável frente a outras moedas, como o dólar e o euro, é recomendável que o viajante planeje sua compra de divisas com antecedência. O ideal é que vá trocando aos poucos, para que não sofra com altas súbitas. É recomendável também dar preferência à moeda em espécie, sobre a qual o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é mais baixo, de 1,1%. A taxa para cartões (crédito, débito ou pré-pago) é de 6,38%.
8 - DE OLHO NO CALENDÁRIO
Brasileiros costumam olhar o próprio calendário para planejar suas viagens, e isso está certo. Mas se a ideia é ir para fora do país, é recomendável também observar as datas festivas no destino, para evitar encontrar as dificuldades naturais de feriados: preços altos, hotéis cheios, passagens esgotadas. Os feriados dos Estados Unidos são ótimos exemplos disso, já que existem em grande quantidade e não costumam ter equivalentes por aqui, como Martin Luther King Day (terceira segunda-feira de janeiro), Memorial Day (última segunda-feira de maio), Dia da Independência (4 de julho), Labour Day (primeira segunda-feira de setembro) e, sobretudo, Dia de Ação de Graças (quarta quinta-feira de novembro) e o Spring Break (miniférias escolares entre meados de março e meados de abril).
9- USE O SEGURO DO CARTÃO DE CRÉDITO
Quem compra passagem aérea (ou de trem ou navio) com cartão de crédito normalmente tem direito a algum tipo de seguro de viagem, dependendo da bandeira, da operadora e do tipo de cartão. É uma boa opção se a ideia é cortar um gasto a mais, mas saiba que a cobertura oferecida nem sempre se compara à de um seguro contratado separadamente. A relação é bem mais vantajosa quando se fala de aluguel de veículos. Aí sim vale a pena não contratar o seguro oferecido pela locadora e ficar com o que já está embutido no cartão usado na operação.
10 - BAIXA TEMPORADA NEM SEMPRE É TEMPORADA RUIM
Tudo bem, ninguém quer viajar para uma praia em época de chuva, ou para uma estação de esqui sem neve. Mas é possível encontrar aproveitar bem certos destinos fora da alta temporada. No Nordeste, por exemplo, outubro e novembro são ótimos para a praia, com tempo firme, calor e sem os preços da temporada oficial de verão. Também é possível encontrar tarifas promocionais em estações de esqui nas primeiras e nas últimas semana da temporada de inverno. A mesma coisa nos resorts do Caribe, que oferecem promoções até o final da temporada de furacões (a melhor aposta é outubro).