Comportamento

Dificuldades com o orgasmo? Veja sete fatores que podem ajudar a melhorá-lo

Estudos científicos mostraram questões, que vão desde a comunicação entre as pessoas até a anatomia, que influenciam no ápice da relação

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O orgasmo é o ápice da relação sexual. Chegar nele, no entanto, nem sempre é tão simples, e essa dificuldade acaba por estragar o clima no momento em alguns casos. Há fatores, no entanto, que podem ajudar a mudar essa situação.

Alguns estudos ao redor do mundo mostram que, ao se entender questões anatômicas ou interpessoais, por exemplo, é possível melhorar a relação sexual e, consequentemente, o orgasmo.



Veja sete fatores que influenciam na "Hora H":
Mensagens quentes
Suas mensagens podem ter um impacto no orgasmo. Em um importante estudo sobre orgasmos publicado no Archives of Sexual Behavior, os pesquisadores analisaram mais de 52 mil homens e mulheres de todas as orientações sexuais. Eles descobriram que as mulheres que tinham orgasmo com mais frequência eram mais propensas a trocar mensagens, ligações e e-mails com seus parceiros sobre algo que eles queriam fazer depois. O estudo também descobriu que pedir o que você quer na cama estava associado com orgasmos mais frequentes.

Habilidades de comunicação
Quão bem você se comunica em seu relacionamento também desempenha um grande papel, de acordo com a pesquisa. “A comunicação explícita e direta com o parceiro é fundamental”, disse David Frederick, principal autor do estudo Archives of Sexual Behavior, em entrevista ao The Guardian. Três pequenas palavras em particular estão ligadas à sua probabilidade de orgasmo, de acordo com os resultados: eu te amo.

Sua auto-estima sexual
Pode parecer que seu orgasmo é responsabilidade de todos os seus parceiros (e, sejamos sinceros, os movimentos definitivamente contribuem), mas os pesquisadores também descobriram que seu senso de auto-estima e satisfação com seu corpo é um grande fator contribuinte. Em um estudo de 2016 publicado na revista Socioaffective Neuroscience and Psychology, os pesquisadores descobriram que a sua autoestima sexual é mais importante para o seu orgasmo do que um fator que pode parecer mais óbvio, como quantas vezes você se masturba ou quantos parceiros você teve. Pode parecer brega, mas praticar dizendo coisas boas sobre o seu corpo pode aumentar a probabilidade de um orgasmo. Em vez de criticar seu corpo, encontre uma lingerie ou até mesmo uma camiseta velha que faz você se sentir tão sexy que vai querer deixar as luzes acesas.

Seu foco
É preciso concentração. Isso pode ser um processo de aprendizado, de acordo com o estudo de 2016. Mulheres com alta capacidade de orgasmo “aprenderam a se concentrar completamente naquele momento”, segundo os autores. Antes de começar a diversão, tire alguns momentos para descomprimir do seu dia. Aquela crítica irritante do seu chefe? Esqueça. Concentrar-se em estar presente com seu parceiro tornará você mais propenso a atingir o orgasmo.

Seu status de relacionamento
Seu parceiro importa quando se trata de suas chances de orgasmo, de acordo com a pesquisa. Os pesquisadores também ressaltaram a importância da satisfação no relacionamento. Os estudos de 2016 e de 2017 descobriram que o quanto você está satisfeito com seu relacionamento – seja sua alma gêmea ou apenas um amigo que tem boa conexão – está ligado às suas chances de orgasmo. Em outras palavras, se você está infeliz em seu relacionamento, sua vida sexual pode começar a pagar o preço.

Sua anatomia
Muitos fatores que contribuem para o seu orgasmo estão sob seu controle – outras não. De acordo com um estudo de 2011 publicado na revista Hormones and Behavior, a distância entre o seu clitóris e a abertura urinária (onde o xixi sai) pode influenciar sua probabilidade de orgasmo. Pelo menos durante a penetração vaginal. Se ela estiver abaixo de dois centímetros, é mais provável que você tenha orgasmo durante a relação sexual do que se estiver mais próximo de três centímetros. Felizmente, mesmo que sua anatomia não esteja a seu favor, um pouco de estimulação no clitóris durante a relação fará com que você esqueça tudo, de acordo com os pesquisadores.

Sua idade
Sua probabilidade de orgasmo envelhece como um bom vinho. A ciência diz que a vida sexual das mulheres tende a melhorar com a idade. Quando os pesquisadores analisaram as tendências dos grupos etários para o estudo de 2016, descobriram que as mulheres de meia-idade relataram uma incidência maior de orgasmos do que os de vinte e poucos anos. Isso é provável porque muitos outros fatores que são importantes para o seu orgasmo – confiança e comunicação, por exemplo – também tendem a melhorar com a idade. Isso é uma coisa muito mágica para se esperar.