Carros

Dirigir na chuva: veja como não correr riscos

Para enfrentar dias chuvosos é preciso ter cuidados redobrados ao volante e ficar preparado para qualquer situação inesperada, desde obstáculos submersos na pista até danos ao veículo

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Dirigir traz sempre riscos ao motorista e demais ocupantes do veículo. Em dias de chuva, porém, o cuidado deve ser redobrado ao volante para evitar acidentes e situações indesejadas. Como, por exemplo, aquaplanagem.

Na chuva, a visibilidade do condutor fica reduzida e os pneus perdem atrito com o solo diminuindo a capacidade de o veículo frear, acelerar, fazer curvas e manobras de emergência. Então, as primeiras providências que você deve tomar para dirigir na chuva é ter os limpadores de para-brisas e os pneus em bom estado de conservação. E é claro, não tirar a atenção do trânsito nem por um segundo.

Foto: Reprodução

Outro ponto importante para avaliar é a necessidade de passar por locais inundados. Se não puder desviar o caminho, preste atenção no carro da frente e a que profundidade ele estar da água, para tomar a decisão de passar ou não pelo local. Sabendo que o indicado para ter “passe livre” na inundação é que a água atinja no máximo o centro da roda.

O engenheiro mecânico Fabio Okano, gerente de engenharia de veículos da Ford, deu algumas orientações para não correr risco no trânsito em dias de temporal. Confira:

1) Mantenha a velocidade constante e a direção em linha reta. Se possível, reduza a velocidade do veículo em 20% para trafegar em pista molhada, para ter mais domínio do carro e evitar aquaplanagem.

2) Aumente a distância do veículo da frente. Com pista seca, a recomendação é respeitar um intervalo de dois segundos para o carro que estiver à frente. Com chuva, esse intervalo deve ser de quatro segundos. Para calcular esse intervalo, basta marcar um ponto de referência na pista e contar o tempo entre a passagem da traseira do carro da frente e a passagem da dianteira do carro que vem atrás.


3) Acenda os faróis quando chover, mesmo durante o dia, para o carro ficar mais visível a pedestres e outros motoristas. O mais indicado é utilizar o farol baixo.

4) Para atravessas trechos alagados dê preferência a dirigir usando a primeira marcha, o que dar mais força de tração para transpor a resistência da água ou possíveis obstáculos submersos na pista. Em caso de fileiras de carro para atravessar, aguarde um por vez terminar o percurso.

5)
Não abra mão de utilizar o ar-condicionado e desembaçador traseiro para facilitar a visibilidade. Na falta desses itens, use o ventilador na direção no para-brisa e janelas levemente abertas, o famoso “abre uma gretinha”.

6) Nada de dirigir com o calçado molhado, pois isso pode dificultar o uso dos pedais de forma eficiente, sem deslizes.

7) Durante a condução do veículo evite manobras e frenagens abruptas para não perder o controle do carro e faça a redução de marcha sempre que necessário, principalmente em descidas e antes de curvas.

Foto: Reprodução

O que pode acontecer se dirigir sem tomar nenhuma precaução?
Além do risco de acidentes, a troca de marchas enquanto transita uma área alarga pode ocasionar “calço hidráulico”, que é quando o motor para de funcionar devido a entrada de água pelo filtro de ar. Outro perigo dos dias chuvosos é a aquaplanagem, ou como é conhecido o carro ficar “patinando na pista”, causada pela junção da pista molhada com pneus carecas, que tem pouco ou nenhum atrito com o solo.

No primeiro caso, o motorista deve chamar um guincho para levar o veículo até uma oficina, onde serão feitos os reparos necessários, que provavelmente inclui substituição do filtro de ar e da bomba do motor. Caso insista em ligar o carro, pode danificar outras peças, como biela, pistão e parafusos.

Já se o carro patinar, tire o pé do acelerador e segure firme o volante até que o contato dos pneus com o solo seja retomado. Se o carro recuperar o atrito com o solo de forma perpendicular e manter o trajeto, os sistemas do carro não são danificados. Porém, se o carro “rodar” na pista durante a aquaplanagem traz danos a suspensão e as rodas.