Empreendedorismo

Dividir para multiplicar: essa é a regra do jogo

Movimento intitulado lifelong learning defende que só uma educação permanente pode suprir o alto volume de informações

Rodrigo Almeida*
- Atualizada em

O fato é: compartilhar conhecimento e dividir experiências elevam o nível de formação e capacitação no mercado de trabalho. Enquanto algumas chefias validam a ideia – insegura – de que deter conhecimento é ter poder, lideranças entendem que quanto mais distribuído o saber, melhor o desenvolvimento individual e das equipes.

Entre os grandes executivos que acreditam no compartilhamento de conhecimento e aprendizado contínuo, o multibilionário Bill Gates divulga anualmente na internet uma lista com indicações de leituras e as suas observações acerca dos temas estudados.

O movimento intitulado lifelong learning, ou aprendizado ao longo da vida, defende que só uma educação permanente pode suprir o alto volume de informações produzidas e disseminadas diariamente no mundo, promovendo estímulo à aprendizagem em ambientes formais – salas de aula, e informais – espaços de interação e socialização.

Segundo o relatório Deloitte Global Human Capital Trends, divulgado no primeiro semestre de 2021, aspectos como: capitalização à autonomia e escolha do colaborador como meio de impulsionar o aprendizado, a adaptabilidade e o impacto; criação de equipes e super equipes que usam a tecnologia para aprimorar as formas humanas naturais de trabalho; e a padronização e aplicação de políticas laborais para uma nova responsabilidade de re-arquitetar o trabalho em toda a empresa, são orientações ao sucesso organizacional e ao desenvolvimento empresarial e humano em mercados contemporâneos.

Entre as Tendências Globais do Capital Humano 2021, divulgado pela Deloitte, projetar o trabalho com foco em bem-estar, impulsionar o treinamento dos colaboradores de cima para baixo, estimular a autonomia das equipes e integrar potencial humano às tecnologias, ganham destaque na jornada de mudança mercadológica, reforçando a importância na troca de saberes e no compartilhamento de conhecimentos, metodologias e estudos.

Mais do que deter/reter, o mercado entendeu que é preciso compreender e compartilhar, pois é através do compartilhamento que surge a inovação, da multidisciplinaridade que acontecem os novos olhares e da transmissão que se perpetua o progresso.

É com essa verdade que hoje estreio uma nova coluna, onde semanalmente conversaremos sobre mercado de trabalho, negócios e empresas, transformando a realidade individual e coletiva em uma grande teia de percepções e descobertas.

Dividir para multiplicar vai ser aqui também, junto com vocês, no iBahia!


Rodrigo Almeida* - @rodrigoalmeidarp
Relações Públicas, Mestre em Gestão e Tecnologia Industrial (SENAI - Cimatec), pós-graduando no programa de MBA em Tendências e Inovações, Palestrante, Professor Universitário de pós-graduação, Consultor e Diretor da agência CRIATIVOS.