Especiais

Em domingo de sol, milhares de baianos trocaram praia pelo GP Bahia

Corrida de rua aconteceu no circuito montado no Centro Administrativo da Bahia (CAB), no domingo

Fábio Araújo (fabio.araujo@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Torcida baiana fez a festa nas arquibancadas

O domingo foi de sol, mas os baianos trocaram as praias pelo asfalto. Para muitos, a primeira oportunidade de assistir a Stock de perto. Teve quem veio de longe, como o estudante Arnold Neto, 17 anos que saiu cedo de Itatim, à 220km de Salvador. "Acompanho às corridas pela televisão e agora vim para conhecer o barulho e a velocidade de perto".


A pequena Maria Eduarda, de seis meses, não teve escolha e acompanhou os pais. "Ela gosta de barulho. Já está acostumada com a festa e com a bagunça", explicou o papai Humberto Da Hora. O consultor de vendas Moisés Santos garantiu a diversão para ele, mulher, filho, irmão, cunhada e sobrinha. "É a primeira vez da gente e quando os primeiros carros passaram o coração disparou, deu uma tremedeira de alegria", conta Moisés.


Baianos - Mas em terras baianas, nada mais justo que a torcida para os pilotos daqui. E quem declara o time do coração recebe torcida especial. "Tem que torcer pra quem é da terra, mas o Patrick Gonçalves tem mais torcida, porque torce pro Bahia", diz o técnico em segurança do trabalho Jorge Santos, orgulhoso com a bandeira do tricolor. Torcedores do vitória também exibiam bandeiras e camisas. "Precisa mostrar a força do time e da torcida. Estamos aqui para todo mundo ver", disse o motorista Silvestre Suzar dos Santos, 52 anos. Da bola pra pista, vibração com as batidas. "É mais emocionante. A gente fica com o coração na mão", admite o biólogo Rafael Vieira.


Matéria original: Jornal Correio*

Calor sim, mas sem mar e areia. Dia foi de barulho e alta velocidade