Mundo

Empresa é acusada de discriminar funcionária transgênero

Casal também acredita que os freios do seu carro tenham sido cortados no estacionamento da empresa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A Amazon, empresa de comércio eletrônico, está sendo processada por dois ex-funcionários que alegam ter sofrido assédio sexual e discriminação quando trabalhavam na empresa. 

Allegra Schawe-Lane e seu marido, Dane Lane, foram tratados cruelmente em uma transportadora da Amazon em Kentucky, nos Estados Unidos, de outubro de 2014 a outubro de 2015, segundo o  Transgender Legal Defense & Education Fund, que entrou com a ação judicial.

Além das ofensas e discriminação, um colega de trabalho dos dois é acusado de agressão sexual contra o casal. Os superiores também estão sendo acusados de ordenar intencionalmente trabalhos mais árduos para Allegra do que para seus colegas, mesmo ela tendo um atestado médico, e de impedir que ela fosse para a enfermaria quando passou mal.

De acordo com o Olhar Digital, o casal também acredita que os freios do seu carro tenham sido cortados no estacionamento da empresa. Eles notaram que seus freios não funcionavam depois de deixar o trabalho e um mecânico avaliou que os freios haviam sido cortados intencionalmente.