Empreendedorismo

Empresária baiana vence depressão e dá dicas para empreender: 'tive forças'

Empresária chegou a abrir um restaurante na garagem de um vizinho antes de estar à frente de rede de restaurantes

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)
- Atualizada em

 A previsão dos economistas é que a taxa de desemprego no Brasil feche em 11% em 2018 - a cota chegou aos 11,8% no quarto trimestre de 2017, e atingiu 12,3 milhões de pessoas. Mesmo com a expectativa da redução em relação ao ano anterior, muitos brasileiros encontram dificuldades para se manter no mercado de trabalho sem desanimar com as projeções. 

Para a chef de cozinha baiana Maria Selma Mata, de 45 anos, empreender foi a alternativa para permanecer no mercado de forma estável. Natural de Ipiaú, sul da Bahia, e mãe de cinco filhos, a empresária chegou a trabalhar na casa de uma família, sem perspectivas e em profunda depressão. Selma então entendeu que levar o amor da avó pela cozinha poderia ser uma solução.

Foto: Divulgação

A empresária chegou a abrir um restaurante na garagem de um vizinho, ainda no sul do estado, e a vender “quentinhas” de porta em porta em Salvador no começo da carreira. Desde 2016, ela está à frente da rede de restaurantes o é Champion Fried Chicken e Champion Empada e Café, no Rio de Janeiro, que já registrou faturamento de mais de R$ 3 milhões no período.  Hoje conta com 14 cafeterias, 03 restaurantes,  quatro food trucks, uma fábrica com produção própria. Questionada por que não empreender na Bahia e fala de oportunidades. "Eu amo a Bahia mas eu não empreendi lá porque quando comecei a trabalhar não tinha tanta oportunidade. Eu era mais jovem e não tinha o conhecimento que tenho hoje e, no Rio, encontrei mais oportunidades", afirma.

Fugir de dívidas e foco
Para quem deseja se arriscar no empreendedorismo e ainda não tem muito dinheiro, a gestora dá dicas. "Para quem não tem experiência, a primeira coisa a fazer é curso de capacitação. Fazer cursos e procurar conhecer a área que vai trabalhar. Porque se você vai na aventura, pode se dar mal. Eu precisava acreditar em mim, que a minha habilidade ia me tirar daquela situação", relembra o começo da carreira.

O sonho de empreender requer dedicação e restrições da rotina esperada."Quando se começa um projeto, um empreendimento, a pessoa tem que se dedicar totalmente, não dá para ter vida social. Depois que a máquina está rodando e tudo está fluindo, aí sim, você pode tirar a tarde do domingo para ficar com a sua família. O negócio só acontece se você realmente se focar", pontua. Outro empecilho na vida de Selma foi lidar com a depressão enquanto tentava se estabelecer financeiramente. "Primeiro a depressão fez eu querer desistir, acreditar que eu não podia. Mas eu criei forças e percebi que eu podia muito mais. E depois da depressão, quando eu vi que eu podia superar, vi que tinha forças para ir muito mais além", diz.

Foto: Divulgação

Selma criou uma uma receita exclusiva, com rango temperado com 21 especiarias, frito sem o uso de óleo, o que tornou um dos diferenciais do seu serviço. El acredita ainda que qualquer pessoa é capaz de aprender a cozinhar, desde que coloque o amor em primeiro lugar. "Cozinha é amor. Todo mundo pode cozinhar, mas tem que ter vontade, técnica, percepção e, sobretudo, amor", conclui. Seja a cozinha ou outro nicho, a baiana reitera a importância da dedicação ao negócio. "O sucesso de uma empresa que você está montando pela primeira vez chama-se dedicação e trabalho. Se não tiver isso, não funciona", acredita.