Educação

Enem: seis dicas de professores para fazer bons resumos

Não copiar todo o texto do parágrafo, usar próprias palavras e preparar o ambiente para os estudos estão entre as sugestões

Ana Paula Blower, da Agência O Globo
- Atualizada em

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece nos dias 4 e 11 de novembro, já está quase aí, e técnicas para ajudar nos estudos nesta reta final podem ser um trunfo. Especialmente para uma das práticas mais recorrentes: os resumos ou fichamentos, que auxiliam na aprendizagem e na fixação de conteúdo.

Para o vice-diretor acadêmico e professor de matemática do Colégio de A a Z, Fellipe Rossi, estudar por meio de fichamentos é uma boa maneira de ter um acesso rápido a conteúdos que possam cair nas provas do Enem. — Assim, fica mais fácil para estudantes manterem um contato próximo com a matéria e assimilar tudo de maneira mais concreta — afirma ele.

Foto: Reprodução/Instagram

Uma das primeiras dicas do professor de geografia e atualidades do Descomplica, Ricardo Marcilio, é tomar cuidado para não copiar o texto inteiro que está estudando. — Existe um texto base, e o aluno deve se preocupar em tirar o que é mais importante dele, ou então o fichamento fica só uma cópia do que leu. É pegar um texto e sintetizar os pontos mais relevantes — destaca o professor. Confira abaixo mais dicas para fazer um bom fichamento.

1. Priorizar disciplinas que tem dificuldade

Nesta reta final, diz Ricardo Marcilio, o aluno não conseguirá fazer fichamentos de todo o conteúdo abordado na prova. Como o Enem é uma avaliação de conhecimentos gerais, o professor diz que é melhor o candidato saber um pouco de tudo do que muito de algo específico.

— A dica é fazer fichamento de disciplinas e temas em que o estudante tem mais dificuldade. Se tem mais facilidade em biologia, por exemplo, talvez não precise do fichamento desta matéria agora.

2. Preferir o fichamento à mão

Se escrever os fichamentos no computador for mais prático, o professor ressalta que essa talvez não seja a melhor opção. Escrever à mão, diz ele, é muito importante, já que a escrita é uma das formas principais de aprendizagem e de fixar o conteúdo.

3. Usar as próprias palavras

Após ler um parágrafo de um texto para o fichamento, em vez de usar as mesmas palavras, use as suas próprias. Escreva esse resumo como se estivesse ensinando para você mesmo.

4. Ambiente deve ser como o da prova

Muito importante: a posição em que se estuda faz muita diferença. A dica do professor é nunca e fazer os fichamentos ou mesmo se dedicar a uma leitura em uma posição desconfortável. O ideal é sempre simular a situação em que estará na hora da prova: um ambiente iluminado, silencioso, sentado, nunca deitado. O cérebro relembra no dia de fazer a prova.

5. Os 'flash cards' também podem ajudar

Vice-diretor acadêmico e professor de matemática do Colégio de A a Z, Fellipe Rossi indica os chamados flash cards como mais uma opção nos estudos. Ele explica: em uma das faces do cartão, o aluno escreve um conceito ou pergunta. No outro, a resposta, teoria ou definição. Os flash cards podem ser usados para todas as disciplinas. Assim como nos fichamentos, devem ser feitos à mão.

6. Mapas mentais

Nesta outra dica do professor Felipe, o aluno escolhe um conceito ou tema central e o escreve em uma folha em branco. A partir dele, escreve ali associações de causa e consequência, contextos, fatos relacionados. Essa técnica ajuda a refletir, entender e fixar as disciplinas de maneira mais eficaz.