Economia

Entenda por que consumidor paga quase quatro vezes mais pela gasolina na bomba

ANP passou a divulgar a composição dos preços dos combustíveis

Agência O Globo
- Atualizada em

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) passou a divulgar, nesta sexta-feira, dia 16, a composição dos preços dos combustíveis, com o intuito de dar mais transparência sobre o mercado. Dessa forma, fica mais fácil para o consumidor entender por que razão ele paga quase quatro vezes mais nas bombas (R$ 4,22, em média) do que o produtor gastou para produzir um litro de gasolina comum (A). Os dados são referentes ao mês de fevereiro deste ano.

De acordo com a ANP, na região Sudeste, um litro de gasolina comum, para o produtor, custa R$ 1,15, em média (27,3% do valor final pago nas bombas). Há. no entanto, a inclusão de 27% de etanol anidro na mistura, o que gera um acréscimo de R$ 0,56 (13,3% do preço final). O custo do transporte, ao contrário do que se pensa, nem é tão elevado: R$ 0,06 (1,3%).

Os tributos, no entanto, são os itens que mas pesam nesta conta: no Sudeste, a incidência de impostos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) gera um impacto de mais R$ 0,65 (15,4% do preço final). Isso sem contar a tributação estadual (ICMS), de mais R$ 1,29 (30,5% do valor pago pelo consumidor).

Por fim, a margem bruta de distribuição (lucro e demais custos) — de R$ 0,17 (4,1% do total) — é aplicada sobre o preço, assim como a margem dos revendedores, que é de R$ 0,34, em média (8% do que se paga). O resultado é uma cobrança de R$ 4,22 (valor médio) para o consumidor final.

Considerando dados de todo o Brasil, a composição é a seguinte:


Preço do produtor de gasolina comum (A) - R$ 1,10 (26,3%)

Preço do etanol anidro - R$ 0,56 (13,5%)

Custo de transporte - R$ 0,10 (2,3%)

Tributos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) - R$ 0,65 (15,6%)

Tributo estadual (ICMS) - R$ 1,19 (28,4%)

Margem bruta de distribuição - R$ 0,18 (4,3%)

Margem bruta de revenda - R$ 0,40 (9,7%)

Preço ao consumidor - R$ 4,18