Mundo

Entrevistada durante ataque de atirador nos EUA perde órgãos

Cirurgião disse que por poucos centímetros ela não estaria viva

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A mulher que era entrevistada quando um atirador abriu fogo contra uma repórter e uma cinegrafista, perdeu um rim parte do intestino. Vicki Gardner estava com a equipe da WDBJ formada pela repórter Alison Parker, de 24 anos, e pelo cinegrafista Adam Ward, de 27, quando Vester Flanagan atirou contra eles. O marido dela, Tim Gardner, disse à agência de notícias “Associated Press” que a esposa vai precisar de três meses para se recuperar. O caso aconteceu nos Estados Unidos.




Atirador filmou ataque a jornalistas e publicou nas redes sociais; ele tentou se matar



Vicki já tinha sido entrevistada pela emissora local outras vezes. Ela é diretora-executiva da Câmara Regional de comércio de Smith Mountain Lake.


De acordo com o marido, o atirador disparou contra Alison Parke e, então, voltou sua atenção para o câmera Adam Ward. "Então, ele atirou três vezes em minha esposa, e ela estava tentando se esquivar", disse, em entrevista à rede de TV "ABC".


Vicki escapou da morte por pouco. "Eu acho que ela não tinha noção do perigo que correu e caminhou para ambulância depois de ser baleada, mas não sabia a extensão dos ferimentos. O cirurgião disse que por poucos centímetros ela não estaria viva", detalhou Timr.






Apesar da tristeza, ele afirmou estar muito feliz que sua esposa esteja viva. A mulher foi atingida no lado direito da parte inferior das costas ao se abaixar numa tentativa de evitar as balas. “Eu odiaria ter perdido minha companheira por causa de um louco”, disse Tim.


O marido também contou que sua esposa está de bom humor, cercada por parentes no hospital. Segundo ele, Vicki também não ouviu reação alguma dos jornalistas quando Flanagan se aproximou deles.