Economia

Especialista dá dicas para controlar as finanças em tempos de pandemia

Reduzir o consumo de bens supérfluos e evitar compras por impulso são algumas delas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Com a pandemia do Covid-19, segundo dados do Ministério da Economia, mais de 6 milhões de pessoas tiveram jornada de trabalho reduzida ou suspensa no Brasil, após criação pelo governo federal do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. 

Diante dessa realidade e o impacto sobre a renda da população, é importante ter mais cautela com os gastos. Para te ajudar nesta tarefa, o professor do curso de Economia da UNIFACS, Moisés Conde, separou cinco dicas para evitar prejuízos para o bolso nesse período. Confira:

1. Tornar as decisões financeiras da família o resultado de um acordo coletivo - “Em momentos como esse, é preciso que a decisão dos gastos na família seja conversada e acordada entre todos os membros para evitar desgastes desnecessários”, ensina o professor.

2. Reduzir o consumo de bens supérfluos - “É importante que o consumo dos bens essenciais seja preservado, como: aluguel, alimentação ou energia elétrica”, observa.

3. Evitar as compras por compulsão – “Com a infinidade de ofertas pela internet, é muito fácil comprarmos produtos desnecessários nas lojas online”, lembra Moisés. É preciso manter o controle e não cair na armadilha dessas compras por impulso.

4. Não fazer grandes estoques de determinados produtos – Por exemplo, nada de comprar além da conta itens como álcool em gel, papel higiênico ou alimentos não perecíveis. “Não corremos risco de desabastecimento, e os supermercados estão entre os estabelecimentos considerados essenciais, portanto, permanecerão abertos durante a pandemia”, observa o especialista.

5. Aproveite o tempo em casa para praticar atividades que não necessite de gastos extras – O professor sugere ler os livros que já possui e que ainda não teve tempo para ler ou cozinhar sua própria refeição. “Isso pode ser uma atividade prazerosa como também evita o gasto com restaurantes delivery”, pontua.