Economia

Especialista explica como não ficar no vermelho pós-Carnaval

Consultor financeiro Alex Cruz explicou que o primeiro passo é estabelecer um teto de gastos a partir do planejamento financeiro

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Preparado (a) para gastar dinheiro na folia? Abadás, cervejas, churrascos, camarotes, transporte e até hospedagem no Carnaval podem deixar as pessoas no vermelho. De acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), o registro médio de gasto no período carnavalesco girou em torno de R$ 630, no ano passado.

Para você que não quer ou não pode gastar muito, mas quer curtir o Carnaval, o consultor financeiro Alex Cruz explicou que o primeiro passo é estabelecer um teto de gastos a partir do planejamento financeiro.

Foto: divulgação
“Primeiro é preciso estabelecer onde você quer curtir essa temporada de festas. Alguns preferem curtir a folia nas ruas, outros viajar ou então chamar os amigos para festejar em casa. Todas essas opções, entretanto, resultam em gastos. É preciso ter isso em mente. Para que as dívidas não surpreendam no fim do mês, é necessário dividir a montante total pelos dias que você pretende curtir”, explica.

Saindo da fase de planejamento, o profissional da área propõe dicas eficazes como a confecção autoral de fantasias; idas à bloquinhos de rua; agrupar amigos para compartilhar corridas e fazer um “esquenta” antes de sair nos blocos, evitando o custo alto das bebidas nas ruas com a antecipação das compras em mercados.



“É preciso buscar alternativas para não ter um déficit orçamentário muito grande, tendo em vista esse aumento no valor das mercadorias e serviços. Levando em consideração as festas pré-carnavalescas e os dias oficiais da festa, existe aqui um cenário propício para muitas despesas. Outra solução é equilibrar os dias de festa mesclando programações diferentes, como idas à praia, dias para descanso ou festas articuladas com os amigos”, concluiu Alex.