Comportamento

Especialistas dão dicas de como não se estressar com a disputa eleitoral

Nos últimos meses, as redes sociais têm sido usadas como campos de batalha

Agência O Globo

As eleições de 2018 ficarão marcadas pelas discussões acaloradas entre eleitores. Se no primeiro turno as desavenças já eram comuns, com o início do segundo turno algumas conversas ficaram insustentáveis. Para não comprometer a saúde mental neste período eleitoral, a recomendação é se resguardar nesta semana que antecede as votações.

— Nós temos que pensar uma vez antes de falar, duas vezes antes de fazer e três vezes antes de postar, porque as postagens nas redes sociais são para o resto da vida. Mesmo que você apague, uma pessoa pode tirar um print e você não terá como voltar atrás — explica a neuropsicóloga Thaís Quaranta.

Nos últimos meses, as redes sociais têm sido usadas como verdadeiros campos de batalha. Basta manifestar apoio a um candidato que chovem críticas e até xingamentos.

— Nesta eleição, o nível de desgaste emocional está infinitamente maior. As pessoas acabaram usando as redes sociais para mostrar falta de respeito pela opinião alheia — diz a psicóloga Ellen Moraes Senra.

Além das discussões que passam dos limites, outro comportamento que chateia eleitores é a publicação de fake news. Para quem quer paz, o ideal é se manter longe das discussões políticas e respeitar a opinião do outro, sem agressões verbais ou físicas.

— É importante debatermos política, mas é preciso perceber se o outro está disponível para ouvir. Caso contrário, é melhor evitar — afirma Thaís.

Se você não entra em discussões (ou as está evitando), mas percebe que guardar suas insatisfações está deixando você ainda mais nervoso, extravase de maneira segura.

— Você não precisa sair falando com todas as pessoas o que sente, mas procure falar com alguém em que confia — orienta Luzimar Rosa, coach de vida.

‘As pessoas sempre vêm com uma ofensa’

X., advogada de 28 anos

Vou desativar o Facebook novamente. O principal motivo é a falta de respeito toda vez que faço alguma postagem de cunho político. Raramente aparece alguém para debater de fato. As pessoas vêm com deboche ou ofensa. Estou cansada. Já excluí alguns familiares. A última vez foi um parente que postou ofensa à minha mãe, dando brecha para outros fazerem comentários ofensivos sobre ela. Esta situação tem me deixado angustiada demais. Faço tratamento para transtorno de ansiedade e percebi que ultimamente tenho andado muito mais agitada.

Confira dicas:


Dê um tempo

Se você entrar em uma discussão, presencial ou pela internet, evite responder no momento de raiva. Mude o foco e faça coisas que dão prazer a você. Respostas em momentos estressantes podem fazer você se arrepender depois. 

Fuja das discussões

Caso você queira paz, evite entrar e ficar perto de discussões. Se o assunto surgir no meio de uma conversa, ouça com atenção e responda com respeito. Tente mudar o tema na primeira oportunidade.

As pessoas são diferentes, aceite

Não adianta tentar mudar o fato de que as pessoas são diferentes de você. Casa um tem uma trajetória de vida que influencia diretamente nas decisões que são tomadas. Não tente mudar ninguém. Concentre-se em quem você é e nos seus motivos para estar em determinado lado. 

Respeite a opinião alheia

Não há problema algum em pensar diferente. Respeite a opinião alheia, mesmo que você não concorde com ela e ache um absurdo. Demonstrando respeito, você poderá exigir o mesmo do outro. 

Cuide do seu corpo

Fazer meditação, se alimentar bem e praticar exercícios físicos preparam o seu corpo para enfrentar momentos de estresse. Mas evite fazer estas atividades na hora em que estiver pilhado: você não vai conseguir meditar.

A mudança começa com você

Se você está se estressando neste período eleitoral, avalie a sua postura diante deste cenário. Você é a pessoa que começa a conversa sobre política e acaba estressado? Mude de atitude.