Educação

'Está na hora de pensarmos na retomada das aulas', declara ACM Neto

Prefeito de Salvador disse que irá se reunir com o governador Rui Costa nos próximos dias

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (2), o prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou que irá se reunir com o governador Rui Costa nos próximos dias para discutir o retorno das aulas nas escolas da capital baiana. O gestor disse que tem o desejo que as aulas retornem ainda este ano.

"Eu vou solicitar uma reunião com o governador - porque todas essas decisões que temos tomado são em conjunto com o Governo do Estado. Eu pretendo ter essa harmonia até o dia 31 de dezembro, quando eu for passar meu bastão ao meu sucessor. Eu entendo que ela vem sendo fundamental para a nossa cidade. No entanto, eu acho que já é possível começar a construir uma perspectiva [de retorno], com muitos cuidados, critérios, regras, prazos e condicionantes, é claro. Mas já está na hora da gente sentar pra começar a ver a questão da retomada da Educação", afirmou.

O prefeito disse ainda que o protocolo para o retorno das aulas já foi definido. "Os protocolos já estão muito bem desenhados e definidos, porém o desejo da Prefeitura é que qualquer decisão seja tomada em conjunto. Nós vamos conversar a respeito desse assunto nos próximos dias. Não tenho, por hora, nenhuma novidade pra trazer. Apenas informar e afirmar que o nosso desejo é que as aulas possam voltar ainda esse ano. Já estamos no mês de outubro, quando temos aí apenas três meses [para o fim do ano]. Porém o nosso desejo é que elas possam voltar ainda esse ano. Elas vão voltar ao mesmo tempo. Vamos ter fase A...", falou.

ACM Neto também ponderou quanto ao retorno da educação infantil.  "Talvez faça sentido não voltar a educação infantil esse ano. Porém, tudo isso, eu vou aprofundar a discussão a partir do trabalho conjunto dos dois comitês - o da Prefeitura e o do Governo do Estado. Mais detalhes eu só posso dar depois dessas conversas com o Estado", pontuou.