Salvador

Estudantes do Ifba são proibidos de entrar por conta de roupas “inadequadas”; entenda

Seguranças da Instituição cobram que estudantes de graduação usem roupas "apropriadas"; alunos relatam casos

Pedro Enrique Monteiro (pedro.monteiro@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Alunos colocaram cartazes em protesto à medida; Estudante foi barrada por usar vestido acima do joelho. Foto: acervo pessoal

Uma medida para garantir a segurança dos alunos. Essa é a justificativa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba) para impedir que estudantes dos cursos de graduação tenham acesso à Instituição com roupas “inapropriadas”. Segundo denúncias de alunos de graduação do Ifba, nas últimas três semanas, os seguranças que ficam na entrada do Campus do Barbalho, em Salvador, estão proibindo a entrada de alunos trajados de forma não “condizente com uma repartição pública”.


O problema, segundo relatos de estudantes ao iBahia, é que no manual do aluno de graduação não há restrições ao traje e a nova medida não foi divulgada nem repassada por e-mail aos alunos. Além da falta de comunicação, o problema se torna maior quando os critérios adotados às mulheres não são os mesmos cobrados em relação ao dos homens.

Aviso foi colocado na portaria da faculdade sem comunicação prévia aos alunos. Foto: reprodução


“Tiveram mulheres que chegaram a serem retiradas da sala. Já ontem um colega homem estava de short e sandália e disse que não passou por nenhuma situação. O short era aqueles de pegar ‘baba’ e ele realmente estava vestido bem inapropriado”, contou um estudante, que prefere que o nome não seja identificado. Em contrapartida, mulheres são barradas na portaria da Instituição mesmo com roupas mais cumpridas e menos expostas.


“Têm umas duas semanas que fui parada na hora que estava entrando na faculdade e o homem disse que eu não estava com vestimenta adequada para entrar na Instituição. Eu estava de vestido de manga, gola fechada, e cumprimento acima do joelho”, relata uma estudante de Engenharia Mecânica. A jovem de 24 anos conta que, após questionar os seguranças com o manual do aluno, os rapazes responderam: “Isso é para a segurança de vocês meninas”.

Estudantes relataram nas redes sociais casos em que foram proibidos de acessar a Instituição. Foto: acervo pessoal


Nas redes sociais, alunos relataram casos em que foram barrados na entrada da faculdade por conta de detalhes mínimos, como o caso de uma jovem que estava trajando uma blusa de alça. ”Ontem fui para a faculdade e, para a minha surpresa, porteiros do Ifba queriam impedir a minha entrada com o seguinte argumento: ‘você não pode entrar aqui mostrando esses braços assim...’”, relatou a estudante. Veja a vestimenta usada pela jovem durante o ocorrido:

"Você não pode entrar aqui mostrando esses braços assim", ouviu uma estudante que usava blusa de alça. Foto: acervo pessoal

Entre os casos relatados, duas estudantes não conseguiram apresentar um seminário para a matéria de filosofia após serem impedidas de entrarem na faculdade por conta das roupas. “A culpa da falta de segurança é do meu short. Ok”, ironizou uma aluna. O iBahia entrou em contato com a instituição que se comprometeu em analisar a denúncia e responder após o feriado do servidor público, comemorado nesta quarta-feira (28).


*Matéria sob supervisão e orientação da editora Aline Caravina.