Saúde

Estudo aponta que noite longa de sono pode ser pior que dormir pouco

Alguns dos sintomas de que não tem uma boa noite de descanso são cansaço, sonolência diurna excessiva e dor de cabeça

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
A quantidade de horas de sono determina um descanso restaurador? Para Kenya Felicíssimo, pioneira em Odontologia do Sono na Bahia, a resposta é não, pois "a qualidade do sono é muito mais importante do que a quantidade". Alguns dos sintomas de que não tem uma boa noite de descanso são cansaço, sonolência diurna excessiva, dor de cabeça, estresse e dificuldade de concentração.Estudos feitos pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, comprovam: é melhor dormir bem por pouco tempo do que ter um sono longo com interrupções. “Quando o sono é interrompido durante a noite, o indivíduo desequilibra as fases do sono (estágios 1, 2, 3, 4 e REM), fazendo mais o sono superficial do que o profundo, prejudicando os processos metabólicos que garantem a recuperação do organismo", explicou Kenya.As interrupções no sono, muitas vezes, podem ser causadas por alguns distúrbios do sono, como o ronco e a apneia.Para dormir bem, a cirurgiã-dentista indica que seja feita a higiene do sono. “Adeque o ambiente do quarto, regulando a temperatura e a luminosidade, além de controlar os ruídos. Estabeleça horários regulares para dormir e acordar, evite refeições pesadas, fumar e ingerir álcool ou estimulantes, como café, próximo ao horário deitar. Banho com água morna estimula o sono e a luz de aparelhos eletrônicos, como televisões e celulares, podem atrapalhá-lo”, orienta.