Mundo

Estudo com gêmeos idênticos vê envelhecimento de material genético

Gêmeos monozigóticos nascem com DNA igual, que é alterado com o tempo. Pesquisa foi feita comparando glóbulos brancos do sangue

Do G1

Um estudo feito com gêmeos idênticos mostra como o envelhecimento altera o material genético. Os resultados foram publicados nesta quinta-feira (2) da revista especializada “Journal of Human Genetics”.


Os gêmeos idênticos – ou monozigóticos – são gerados a partir da mesma célula e, por isso, compartilham o DNA. Na experiência, a equipe liderada por Jan Dumanski, da Universidade de Uppsala, na Suécia, comparou o material genético pares de gêmeos nas células brancas do sangue.


Os resultados mostraram que, nos indivíduos com mais de 60 anos, houve grandes mudanças no DNA – o chamado rearranjo de genes. Nos mais jovens, essas mudanças foram menores e mais simples. Isso indica que esses rearranjos estão relacionados à idade.


“Os rearranjos recorrentes descobertos aqui são candidatos para defeitos comuns relacionados à idade nas células sanguíneas humanas”, escreveram os autores no artigo. Segundo eles, será possível em breve determinar a idade genética de uma célula, em contraposição à idade cronológica.


O texto afirma ainda que a pesquisa pode contribuir para entender como a idade faz com que o corpo – por meio da medula óssea – perca gradualmente sua capacidade de produzir as células do sangue.