Tecnologia

Falha no Facebook pode ter exposto fotos de 6,8 milhões de contas

Companhia informou que planeja enviar notificações aos usuários que podem ter sido afetadas, com redirecionamento para a central de ajuda

Agência O Globo

O Facebook informou nesta sexta-feira a descoberta de uma falha que pode ter afetado até 6,8 milhões de usuários que usam a conta na rede social para que aplicativos de terceiros acessem o arquivo de fotos. Segundo a companhia, o erro foi corrigido, mas pode ter afetado 1,5 mil aplicativos criados por 876 desenvolvedores.

A falha permitiu que esses aplicativos tivessem acesso a um conjunto maior de fotografias dos usuários entre os dias 13 e 25 de setembro. Em texto publicado em um blog da companhia, o Facebook explica que “quando alguém dá permissão a um aplicativo acessar suas fotos na rede social, nós normalmente damos acesso às fotos publicadas na linha do tempo. Neste caso, a falha deu aos desenvolvedores acesso a outras fotos, como aquelas compartilhadas no Marketplace ou no Stories. A falha também afetou fotos que foram enviadas ao Facebook, mas não publicadas”.

Notificação será enviada a usuários afetados pela falha. (Foto: Facebook)

“Nós lamentamos que isso tenha acontecido”, disse a companhia. “Na próxima semana nós vamos liberar ferramentas para desenvolvedores que permitirão que eles identifiquem quais pessoas que usam seus aplicativos que foram afetados por esta falha. E vamos trabalhar para que esses desenvolvedores apaguem as fotos dos usuários afetados”

A companhia informou que planeja enviar notificações aos usuários que podem ter sido afetadas, com redirecionamento para a central de ajuda. O texto não informa quando o problema foi descoberto, mas, ao site TechCrunch, um porta-voz afirmou que o erro foi detectado e corrigido no dia 25. O atraso pode colocar a companhia em risco de multas pela nova lei de proteção de dados da União Europeia, que exige das empresas a divulgação de violações de dados 72 horas após a descoberta.

De acordo com o porta-voz, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda, que supervisiona o GPDR, foi informada dentro do prazo.

Esta é mais uma falha da companhia no armazenamento de dados sensíveis de seus usuários. A empresa está envolvida no escândalo da Cambridge Analytica, suspeita de ter usado informações coletadas na rede social para influenciar eleições. Em setembro, foi descoberto o vazamento de quase 30 milhões de contas, sendo parte delas de brasileiros.