Economia

Gasto com o carro é o vilão do orçamento

As despesas podem chegar a R$ 17.150 por ano, levando em consideração os pagamentos de tributo, licenciamento, manutenção e seguro, combustível

Agência O Globo
Apesar da necessidade de um ajuste fiscal doméstico por conta da crise, muitos brasileiros hesitam em cortar uma das maiores despesas da família: o carro. São mais de 60 milhões de veículos nas ruas e, apesar dos altos custos para mantê-los, a maioria dos proprietários não sabe quanto exatamente gasta com eles. A pedido do EXTRA, o Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF) fez a conta. As despesas podem chegar a R$ 17.150 por ano, levando em consideração os pagamentos de tributo, licenciamento anual, manutenção, revisão, seguro, combustível, estacionamento e multas (estimativa).Para fazer o cálculo, foi usado como exemplo um automóvel popular de R$ 35 mil, de um motorista que abastece uma vez por semana (R$ 150 por tanque) e usa o carro de três a quatro vezes por semana, pagando estacionamento (perto de onde mora ou do trabalho). Para o IPVA, levou-se em conta o percentual de 4% sobre o valor do carro flex ou a gasolina. Para o custo do seguro, considerou-se o percentual de 7%. Os gastos simulados (veja abaixo), porém, podem variar conforme a utilização e o ano de fabricação do veículo, os dados do dono e a localidade."A maioria das pessoas acha que o custo do carro é apenas o preço de compra, mas o automóvel é muito caro para uma família. Pelos cálculos, R$ 1.429 por mês podem representar até 30% de um orçamento", disse a planejadora financeira Marcia Dessen, diretora do IBCPF.O entregador de produtos Valdeci Nascimento, de 44 anos, tem três veículos e, mesmo bancando os gastos dos automóveis e de nove filhos, ele não abre mão dos carros: "Um deles eu uso para trabalhar, o outro é reserva, no caso de o primeiro quebrar, e o terceiro eu só utilizo aos domingos. São todos velhos, com mais de 20 anos, e não tenho seguros. Por outro lado, só de manutenção com pneus, este mês, gastei R$ 1.650. Mas vender meus carros? Nem pensar."Investimento é opçãoSe o montante anual gasto com o veículo fosse investido, o proprietário acumularia, em cinco anos, o suficiente para pagar um curso universitário."Ele conseguiria juntar esse dinheiro até na poupança, que é aplicação mais conservadora. Com um acumulado de R$ 40 mil a R$ 50 mil, dependendo da faculdade, o problema do filho estaria resolvido. Esses cálculos também não levam em conta o custo de um financiamento de automóvel (muitos ainda pagam prestações)", disse André Brown, professor do Centro Universitário Celso Lisboa.A maioria dos motoristas, porém, nunca para para fazer essas contas, como o taxista Elpidio Tostes, de 63 anos. Economizar com seguro pode aliviar os custos"Enquanto o seguro popular não sai do papel, ter pelo menos uma apólice para terceiros pode evitar um gasto não previsto com acidentes", alertou José Ronaldo Souza Júnior, professor de Economia do Ibmec/RJ.