Especiais

Goleada repercute na imprensa gringa e motiva piadas na web

Houve quem mostrasse raiva e descontentamento geral. O ex-atacante Denilson, campeão mundial em 2002 e agora comentarista, saiu do sério

Ivan Dias Marques (ivan.marques@redebahia.com.br)
- Atualizada em
A surpresa com a derrota de ontem da Seleção Brasileira por 7x1 para a Alemanha não foi exclusiva aos envolvidos na tragédia do Mineirão. Toda a imprensa internacional, jogadores, ex-jogadores e o mundo virtual passaram boa parte do jogo incrédulos.
O autorretrato do atacante belga Romelu Lukaku, que participou da Copa com a seleção de seu país, eliminada nas quartas, virou meme. Diversos outros boleiros como Tim Cahill (Austrália) e Falcao García (que, machucado, desfalcou a Colômbia) foram alguns que imitaram a cara surpresa de Lukaku.

Houve quem mostrasse raiva e descontentamento geral. O ex-atacante Denilson, campeão mundial em 2002 e agora comentarista, saiu do sério. “Isso não é amistoso, p***”, escreveu no Twitter. Outro pentacampeão, Gilberto Silva, usou um tom mais crítico. “Ainda tem alguém que acha que está tudo bem no futebol brasileiro? E a culpa agora é somente dos atletas? Chega né”, bradou. Juninho Pernambucano, também comentarista no momento, deixou a dúvida sobre o comprometimento do grupo de jogadores no ar. “Pra quem acha que futebol é brincadeira e sorrisos. Futebol é trabalho diário e respeito aos adversários. Jogar conversa fiada é fácil”, exclamou. 

Humor
Mas o tempo foi passando, a ficha caindo e os sustos deram lugar também ao bom humor. Memes, charges e montagens pipocaram nas redes sociais e nos aplicativos de bate-papo. E qualquer um poderia ser alvo. A presidente Dilma Rousseff, o atacante Neymar (de fora do jogo por conta de uma fratura na vértebra), atletas da Seleção ou mesmo qualquer coisa que remetesse à Alemanha.  Uma das imagens que mais rodou a internet foi a de um cachorro de raça com a frase “Tô com vergonha de ir no quintal. Meu pastor-alemão tá rindo de mim”. Outro alvo foi Mick Jagger, vocalista do Rolling Stones, tido como pé-frio. A brincadeira era dizer que ele estava torcendo para o Brasil. E não era que Mick estava no Mineirão? (Ver abaixo). No final, teve até texto da ex-namorada Luciana Gimenez, apresentadora da Rede TV!, defendendo o cantor.
Após o jogo, foi a vez de a imprensa internacional contar sua visão da partida. A maioria falava em humilhação, como o Diário Sport, da Espanha, ou a Gazzetta dello Sport e o Corriere dello Sport, da Itália. Outras manchetes foram ‘Eterna Desonra’ (Marca, Espanha), ‘Sete Maracanazzos’ (AS, Espanha) e ‘Deesastre’ (L’équipe, da França). Os jornais alemães, é claro, só faziam comemorar. ‘Obrigado! Nós amamos vocês’, escreveu o Bild, em seu site. Na edição impressa de hoje, estampou ‘Sem palavras’. O Der Spiegel preferiu ser mais comedido: ‘Alemanha festeja vitória histórica contra o Brasil’, mas não poupou elogios ao time ‘perfeito nos 20 primeiros minutos do jogo’.
E os argentinos? Bem, tiraram sarro, é claro. O Olé fez paródia com a música que a torcida hermana canta nos estádios. O ‘decime que sé siente’ (diz-me o que sente) virou ‘decime que se siete’. O jeito agora é torcer contra eles hoje... 

"Obrigado. Nós amamos vocês", foi a manchete do jornal alemão Bild