Eleições 2018

Haddad condiciona mudança na campanha a encontro com Lula na cadeia

Vice na chapa do PT foi a Alagoas e fez campanha com o senador Renan Calheiros e com Renan Filho, candidato à reeleição ao governo de Alagoas

Agência O Globo

Vice na chapa presidencial do PT, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad condicionou qualquer mudança no rumo da campanha eleitoral do partido à reunião que ocorrerá nesta segunda-feira na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-presidente Lula está preso. A princípio, o PT pretende manter por mais alguns dias a estratégia de atacar o Tribunal Superior Eleitoral por sua decisão de impedir Lula de concorrer, com base na Lei da Ficha Limpa, para apresentar Haddad como seu substituto em um segundo momento.

Foto: Reprodução | Facebook

Haddad recebeu neste domingo o apoio do senador Renan Calheiros (MDB), em busca do quarto mandato no Senado, e de seu filho, Renan Filho, candidato à reeleição ao governo de Alagoas. Os três estiveram juntos durante carreata em Maceió e Maragogi.

Chamado de “nosso presidente Haddad” por Renan Filho, o ex-prefeito foi questionado sobre a possibilidade de o PT desistir de um recurso ao Supremo Tribunal Federal para tentar manter a candidatura de Lula e lança-lo oficialmente como candidato.

- Na verdade, isso é boato. Porque aos fins de semana o presidente Lula não recebe visitas. Nós estivemos com ele na quinta-feira e todas as informações eram de que o tribunal eleitoral não julgaria o registro de sua candidatura. Nós não imaginávamos isso. Por isso nossa reunião não tratou do registro, disse Haddad ontem. – Nós vamos levar um novo cenário para ele. Como ninguém visitou ele desde então, se houver novidades, é amanhã.

Em uma entrevista coletiva ao lado dos Calheiros, Haddad procurou evitar uma questão espinhosa dentro do PT: a do prazo necessário para que os eleitores saibam que Lula não será candidato e associem Haddad como seu substituto, essencial para a transferência de votos.

- Eu acredito que a população está acompanhando as nossas movimentações e as movimentações do presidente Lula com atenção e com muita sabedoria, disse Haddad.

Duas viagens ao Nordeste mostraram que Haddad ainda é desconhecido: na Bahia, na Paraíba e em Pernambuco, ele foi chamado de “Andrade” e grande parte dos eleitores nem mesmo sabia que ele estava na chapa com Lula.