Mundo

Homem é diagnosticado com tumor cerebral adquirido pelo uso constante de celular; ele tem apenas 3 anos de vida

Phillips trabalha como gerente de operações de uma grande empresa, o que exigia um grande número de ligações de celular

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
O americano Ian Phillips, de 43 anos, foi diagnosticado com tumor mortal e acredita que o motivo do câncer foi ter passado até seis horas diárias falando ao celular. Em entrevista ao DailyMail, o executivo foi ao hospital após fortes dores de cabeça e teve a notícia que tinha um tumor no cérebro do tamanho de um limão e que só teria apenas três anos de vida. Phillips trabalha como gerente de operações de uma grande empresa, o que exigia um grande número de ligações de celular. Segundo ele, um média de 100 horas mensais de chamadas.  Além da quimioterapia e radioterapia, o executivo passa por um tratamento de medicina alternativa, mudando sua dieta e praticando exercícios regularmente.
Phillips trabalha como gerente de operações de uma grande empresa, o que exigia um grande número de ligações de celular
Ele também lançou uma campanha para conscientizar as pessoas dos riscos do uso de telefones celulares, que, segundo ele, são particularmente perigosos para as crianças."Eu vou superar o meu tumor, porém, eu preciso passar a mensagem de que os telefones celulares podem ser perigosos e que os receptores de mão podem salvar suas vidas”, finalizou.

"Eu passei a minha vida trabalhando no celular. Minha orelha ficava vermelha quando eu saía do trabalho, no final do dia. Eu não acho que o que estava fazendo era bom para o meu cérebro", disse Phillips em entrevista.

Nos exames, feito no Hospital Universitário de Gales, foi revelado um tumor cerebral de grau 3 e o executivo passou por uma operação de emergência para remover a maior parte. Porém, segundo os médicos, seu câncer de cérebro não poderia ser curado, e ele foi aconselhado a aproveitar ao máximo o pouco tempo de vida que lhe restava.
Nos exames foi revelou um tumor cerebral de grau 3 e o executivo passou por uma operação de emergência para remover a maior parte
"Fiquei arrasado. A primeira coisa que eu perguntei aos médicos foi o que causou isso, mas eu sabia desde o início que era devido ao meu uso excessivo de celular. Desde então, passei muito tempo investigando sobre o tema e o número de tumores cerebrais está subindo cada vez mais. Estou realmente preocupado com as crianças que usam celulares, seus crânios são mais sensíveis e a radiação emitida a partir destes dispositivos podem alcançar seus cérebros com mais facilidade”, disse Phillips.O americano também disse que já investiu em um receptor que se conecta ao celular para fazer e receber chamadas, o que significa não precisar segurar o telefone diretamente no ouvido."Eu comprei um receptor coberto de ouro para chamar a atenção e alertar sobre os perigos de celulares. Estranhos me perguntam por que eu uso um receptor de mão e eu lhes digo que seria pouco se eles tivessem sido diagnosticados com um tumor cerebral”, contou.
Seu câncer de cérebro não poderia ser curado, e ele foi aconselhado a aproveitar ao máximo o pouco tempo de vida que lhe restava