Mundo

Homem é multado em R$ 12 mil por dizer que polícia não é profissão de mulher

Homem foi o primeiro condenado em lei contra sexismo após quatro anos em vigor

Agência O Globo
Um homem foi multado em R$ 11,9 mil por ofender uma policial em Bruxelas, na Bélgica. Trata-se da primeira pessoa condenada e sancionada por uma lei contra o sexismo no espaço público, aprovada há quatro anos no país. O acusado violou uma regra na estrada e criticou a agente ao ser detido porque a polícia, segundo ele, não era profissão para mulheres.
A ofensa ocorreu em junho de 2016, mas só foi sentenciada dois anos depois com uma multa no valor de três mil euros. O homem ainda pode recorrer. A Bélgica aprovou a lei em 2014, depois que um documentário causou ultraje nacional ao exibir os abusos diários vividos pelas mulheres nas ruas.
A legislação prevê punição a qualquer ato ou declaração que demonstre desprezo, inferiorize ou sexualize pessoas por seu gênero. A Corte sentenciou o acusado pelo sexismo e pelos insultos, em novembro. A sentença veio a público nesta semana. Segundo o jornal "Le Soir", ele pode ser preso por um mês se não pagar a multa a tempo.
"É a primeira vez que usamos essa lei para processar alguém. Acontece frequentemente que as pessoas presas pela polícia insultem ou ameacem, mas culpar pessoalmente uma policial por seu sexo é algo particular", ressaltou o porta-voz da promotoria, Gilles Blondeau. O Instituto para a Igualdade entre Mulheres e Homens da Bélgica emitiu nota na qual confia que o caso sirva para conscientizar e encorajar vítimas a reportar abusos. Nesta terça-feira, o governo francês anunciou que vai multar o assédio nas ruas e no transporte público do país em até R$ 3 mil.