Comportamento

Impossível conviver com o mozão na quarentena? Veja dicas para resolver problema

O iBahia conversou com especialistas para trazer dicas a quem vive debaixo do mesmo teto ou sofre com a distância

Carlos Bahia* (carlos.filho@redebahia.com.br)

Estar em um relacionamento não é fácil. Na quarentena, o desafio aparenta ser ainda maior, seja para quem está debaixo do mesmo teto ou para os que sofrem com a impossibilidade de se ver durante esse tempo. Para entender os problemas e buscar soluções para os apaixonados, o iBahia conversou com a psicóloga Geane Santos, do Hapvida, e com a educadora sexual Cris Arcuri.

As duas enfatizaram que a maior queixa de casais que moram juntos é, de fato, conviver tantas horas por dia juntos, e por razões simples. "Mesmo depois de casados, continuamos não nos conhecendo. Existem histórias de uma vida toda que não dá para se contar em poucos anos de relacionamento", explica Geane, a psicóloga ainda reforçou que muitas queixas vêm de antes da quarentena.

Em relação aos casais que moram em casas diferentes, a saudade e a carência são as principais questões apontadas. "Eu acredito que os casais estão no momento de perceber o relacionamento, se existe algo que você quer e de entender mais sobre o outro", opina Geane.

Para passar por cima desses problemas, Geane e Cris separaram dicas para casais que vivem juntos ou separados, e conselhos que se aplicam para cada pessoa da relação separadamente.

Você precisa ter um momento só seu

Geane destaca o respeito como algo essencial em um relacionamento. "É impossível dizer que não vai haver estresse, ansiedade durante esse tempo, então é fundamental respeitar o momento do outro", explica.

O pensamento é compartilhado por Cris. "Mesmo estando dentro de casa, todo mundo precisa de sua privacidade, pois isso é um pilar de um relacionamento duradouro", frisou a especialista.

Use a criatividade e o tempo

Com a dificuldade da distância, Cris destaca a criatividade como peça para driblar o afastamento físico. "Já que não tem contato físico, use a criatividade. Faz um jantar juntos, por exemplo, abre um vinho, faz um drink, e também se importe em escolher uma roupa legal, como se realmente fosse sair com a pessoa".

A dica é válida também para casais que dividem o mesmo teto. "Combina desde cedo que vai jantar junto, planeja os detalhes, nem que seja para comer um prato de macarrão", brincou a sexóloga. "É um bom momento para chamar para namorar, mandar mensagem dentro de casa brincando, voltar mesmo à época do namoro, da conquista", completa.

Companheirismo

Cris também aponta o companheirismo do casal como um grande pilar do relacionamento. "Nesse distanciamento social as pessoas estão entendendo que compartilhar sonhos e ajudar a pessoa a realizá-los, e conversar com a pessoa sobre tudo é fundamental. A ideia é você caminhar lado a lado com a pessoa", frisou.

Equilíbrio nas divisões de tarefas

De acordo com Cris, a divisão de tarefas dentro de casa é fundamental para um melhor convívio do casal. A sexóloga explica que essa divisão vai além de tarefas comuns da casa, como limpeza e preparo da comida.  "A carga mental em cima da mulher é muito grande nessas horas, seja para cuidar da casa, do filho. A sociedade ainda é muito machista e esse peso das tarefas de casa ainda recai muito sobre a mulher", diz a sexóloga.

Manter contato todos os dias

Como destacado por Geane, a distância e a carência são as maiores queixas para casais que vivem em tetos separados. Para driblar isso, usar os meios eletrônicos para se manter por perto é essencial. "Falamos tanto da necessidade de se afastar do mundo eletrônico, mas ele hoje se mostra importante, então mantenha o contato com a pessoa todo dia, faça ligações, seja por vídeo ou para ouvir a voz", diz a psicóloga.

Presentear a pessoa amada

Cris também destaca, além das ligações por vídeo, a possibilidade de mandar presentes, mas com uma ressalva. "Não precisa ser um super presente. Aposta em coisas simples, manda uma pizza com um recado seu, uma playlist de música. Isso só vai 'regando a planta' do relacionamento, porque ele é algo que, se não cuidarmos, a gente perde", salienta a especialista.

Sexo virtual

A sexóloga também destaca o sexo virtual como algo fundamental nesse período de distanciamento, em que o primeiro passo é o planejamento: "É bom pensar em como vai fazer, escolher uma música, beber algo para relaxar se achar necessário e escolhe um bom cenário", destaca a educadora sexual. 

"É um bom momento para o auto toque, conhecer o próprio corpo, ainda mais para a mulher, que tem o assunto ainda como um tabu. Usa os sentidos do corpo, aproveita para contar também que se tocou, tudo isso gera uma expectativa para quando houver um reencontro", completou. 

Planos pós quarentena

O momento de quarentena é também de reflexão sobre o futuro, segundo as especialistas. "Organize suas metas e pense sobre o que a quarentena pode me possibilitar após o término dela", diz Geane. "É importante lembrar que a responsabilidade é da própria pessoa. Não é para colocar a culpa no outro e querer que ele mude", completa Cris.

*Sob supervisão da repórter Lívia Oliveira