Brasil

Imposto de Renda 2018: veja como declarar seu automóvel

Este ano, a Receita passou a pedir também o número do Renavam do veículo

Agência O Globo

A Receita Federal trouxe algumas novidades ao Imposto de Renda 2018 e uma delas é referente ao campo de preenchimento complementar dos automóveis. Quem possuir um veículo, agora, precisa incluir também o número do Renavam. Apesar de a opção de preenchimento ainda não ser obrigatória este ano, ela será a partir do ano que vem, assim como os novos campos dos imóveis. Confira abaixo dicas para não errar na hora de declarar seu automóvel.

Foto: Reprodução

— Essa exigência de dados mais detalhados é uma maneira de a Receita conseguir ter uma maior base de dados, para cruzá-los e prevenir fraudes — explica Antonio Gil Franco, sócio de impostos da E&Y (antiga Ernst&Young).

RENAVAM

O único campo adicional dos automóveis é o número do Renavam. O código pode ser encontrado no documento do veículo, emitido pelo Detran de cada estado.


VALOR DO VEÍCULO SE MANTÉM

Fora o Renavam, o preenchimento do bem permanece o mesmo. Os veículos devem ser reportados na aba “Bens e Direitos”, sob código 21 (veículos automotores), pelo seu custo de aquisição. Note que o valor do veículo não precisa ser atualizado.

— Em outras palavras, a depreciação ou valorização de ativos não é considerada na hora de fazer a sua declaração de Imposto de Renda — diz Gil Franco.

Isso porque, em caso de venda do patrimônio, deve-se fazer o cálculo do imposto de ganho de capital. Esse ganho é calculado pelo valor de venda contra o valor de compra. Se a Receita permite atualizar o valor do imóvel, não haveria ganho de capital.


PERMUTA DE VEÍCULO

A seguir, é preciso incluir detalhes da compra no campo “Discriminação” e o valor pago na lacuna “situação em 31/12/2017”. Se o seu veículo foi usado como entrada para a compra de outro, a permuta deverá ser informada, relacionando além dos detalhes do automóvel, o nome e CPF ou CNPJ do novo proprietário.

O novo veículo deverá ser incluído da mesma forma na seção “Bens e Direitos”, e o campo “situação em 31/12/2017” deve ser atualizado com o custo de aquisição – que engloba tanto o valor da permuta do automóvel que entrou como parte da negociação, como outros valores desembolsados até o fim do ano passado.

FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEIS

Se, por outro lado, o contribuinte fez um financiamento de um automóvel, há duas formas distintas para declarar.

A primeira é informar todo o montante pago pelo novo veículo, incluindo o somatório de todas as parcelas do financiamento quitadas até dia 31/12/2017, e indicar na descrição desse bem que ele está sendo financiado.

A segunda é reportar o valor total do carro na ficha de bens, indicando que ele foi adquirido por financiamento e, além disso, incluir o valor do financiamento na aba "Dívidas e Ônus Reais" o valor que ainda resta pagar do financiamento. Lembrand que é preciso atualizar o valor do saldo devedor remanescente em 31/12 de cada ano.