Tecnologia

Instagram pode deixar de ter contagem de likes

Em conferência para desenvolvedores, Mark Zuckerberg apresenta novidades no Facebook e no Instagram

Agência O Globo

Após um ano recheado de escândalos, Mark Zuckerberg deu início à F8, conferência anual de desenvolvedores do Facebook, falando sobre privacidade. “A privacidade nos dá a liberdade de sermos nós mesmos”, afirmou o diretor executivo da rede social, destacando os esforços da companhia para uma “plataforma social privada” em todos os seus aplicativos, incluindo WhatsApp, Messenger, Instagram e Facebook.

— Não é surpresa que a forma mais rápida que nos comunicamos on-line é em pequenos grupos. (...) É por isso que acredito que o futuro é privado. Este é o próximo capítulo para nossos serviços — afirmou Zuckerberg, reconhecendo que a empresa tem deixado a desejar nesse quesito. — Eu vejo um monte de pessoas que não estão convencidas de que somos sérios sobre isso. Eu sei que nós não temos a melhor reputação em privacidade, para deixar claro.

Foto: reprodução
Segundo o executivo, a companhia foca em seis princípios para a revisão de seus produtos: interações privadas, criptografia, conteúdos que desaparecem com o tempo, segurança, interoperabilidade entre os aplicativos e proteção de dados armazenados.

Além dos comentários sobre privacidade, Zuckerberg anunciou mudanças nos produtos. A principal é o redesenho do logo, do aplicativo e do site do Facebook. O quadrado azul com a letra “F” será substituído por um círculo e o azul, cor marcante da rede social, quase desaparecerá do aplicativo e do site.

O Messenger também receberá atualizações. Segundo a companhia, o aplicativo será mais leve e mais rápido, reduzindo o tamanho do arquivo dos atuais 70 MB para apenas 30 MB. A empresa também prepara versões para Windows e Mac com as mesmas funções da versão móvel, que devem ser lançadas ainda neste ano.

Fim da contagem de ‘likes’

Com o objetivo de reduzir a pressão pela busca de likes, a companhia está testando o fim da contagem de curtidas no Instagram. Com a mudança, os donos das contas continuam sabendo o número de curtidas, mas ele não é exposto publicamente. Segundo Adam Mosseri, vice-presidente de Conteúdo do Instagram, a ideia é colocar o conteúdo em primeiro lugar, não a popularidade.

O aplicativo também ganha novidades nos Stories, que vai permitir a criação de imagens sem fotos ou vídeos, apenas com outras ferramentas como textos e stickers. Também será inserido o botão “Donation”, para campanhas de financiamento coletivo. Do lado comercial, o Instagram oferecerá a canais de compras a opção realizar transações diretamente no aplicativo, com marcação de produtos nas imagens.

No WhatsApp, empresas poderão oferecer não apenas perfis e descrições, mas todo o catálogo de produtos. A ideia é oferecer uma ferramenta de comércio eletrônico para pequenos negócios que não possuem sites na internet.



Ferramenta para ajudar na paquera


O Facebook Dating, anunciado na conferência F8 do ano passado, está expandindo para mais 14 países, incluindo o Brasil. A ferramenta de paquera já funcionava na Colômbia, Tailândia, Canadá, Argentina e México e, a partir desta terça-feira, começa a operar no Brasil, nas Filipinas, no Vietnã, em Cingapura, na Malásia, no Laos, no Peru, no Chile, na Bolívia, no Equador, no Paraguai, no Uruguai, na Guiana e no Suriname.

E com uma novidade, chamada Secret Crush. Ela permite que os usuários criem listas de amigos nos quais estão interessados. Se duas pessoas se marcarem nessas listas secretas, elas recebem um aviso.

No campo da realidade virtual, o Facebook anunciou que seus dois novos óculos — o Oculus Quest e o Rift S — chegarão ao mercado no próximo dia 21, com a pré-venda começando nesta terça-feira. O Rift S, que funciona conectado com um computador, custa US$ 399. Já o Quest, que não precisa da companhia de um PC, sai por US$ 399 ou US$ 499, dependendo da configuração.