Economia

IR 2019: teve rendimentos retidos na fonte? Você pode conseguir restituição; entenda

Prazo para entrega da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2019 começou no dia 7 de março e vai até o dia 30 de abril

Agência O Globo

O prazo para entrega da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2019 começou no dia 7 de março e vai até o dia 30 de abril. Nem todo mundo precisa declarar, mas, em muitos casos, pode ser interessante para obter restituição, caso tenha tido desconto na fonte em alguns meses do ano, o que elevou a renda mensal além do limite de isenção (R$ 1.903).

"Todo cidadão que teve algum rendimento tributado na fonte, mas na soma anual ficou isento, pode conseguir reembolso dos impostos pagos fazendo a declaração do Imposto de Renda", afirmou Leonidas Quaresma, auditor-fiscal da Receita Federal.

ENTENDA

É obrigado a declarar quem no ano de 2018:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superiorr a R$ 40 mil;
  • Obteve ganhos de capitais com incidência de imposto;
  • Quem trabalha com atividade rural e obteve receita bruta anual em valor superior a R$ 142.798,50;
  • Ou quem teve a posse ou a propriedade, até 31 de dezembro de 2018, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00.

No entanto, para quem não se enquadra nessas obrigatoriedades pode ser interessante declarar para obter restituição, especialmente aquele teve algum rendimento ao longo do ano que foi tributado na fonte.

Essa condição pode acontecer com quem não era isento de IR, mas passou a ser ao longo do ano. Alguém que mudou de emprego e passou a ter uma renda menor, por exemplo. Há também aposentados que descobriram doenças graves e se tornaram isentos e pessoas que foram demitido em 2018 e não chegaram a acumular ganhos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

A restituição pode ser ainda maior se forem declarados gastos com saúde e educação, valores sujeitos a deduções de IR.