Caminhos da Bahia

Jaguaquara: cidade que teve como imigrantes italianos, portugueses e japones

A cidade nasceu como Toca da Onça e iniciou oficialmente com o casal Guilherme Martins do Eraldo e Silva & Luzia de Souza e Silva, em 1896

Tatiane Sacramento (tatiane.sacramento@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Nome faz referência a onça retrata em praça da cidade
A 321 quilômetros da capital baiana, a cidade de Jaguaquara, localizada no sudoeste baiano possui mais de 51 mil habitantes de acordo com o último Censo/2010. Tem no hortifrutigranjeiro sua força econômica e essas são apenas algumas das características de uma das maiores cidades do Vale do Jequiriçá. 
Praça do imigrantes que celebram os portugueses, japoneses e italianos que ajudaram no desenvolvimento da região
Um fato curioso é que nos anos de 1950,  italianos, japoneses e portugueses ajudaram a desenvolver a agropecuária da região. A tradição do Japão em cultivar verduras foi importado para o Brasil pelos japoneses que se instalaram na região. Por conta dessa tradição histórica, Jaguaquara hoje tem o título de maior produtor de Chuchu, mas produz também tomate e batata.

A cidade nasceu como Toca da Onça e iniciou oficialmente com o casal Guilherme Martins do Eraldo e Silva & Luzia 
de Souza e Silva, em 1896. Hoje a antiga Fazenda deu lugar a uma escola, uma casa para negócios e a Praça J.J Seabra. 
Praça da Babilônia
Antigamente a Fazenda também tinha uma casa de Farinha, que foi transformada em residência e depois vendida e demolida, - o que representou uma grande perda cultural e história da cidade. 

Quando ainda era povoado, a Toca da Onça, fazia parte da atual cidade de Ubaíra. Oficialmente em 1915, o nome Toca da Onça mudou para Jaguaquara, em 1921 foi elevada a categoria de município e em cidade, em 1923.