Mundo

Jovem fica presa em janela ao tentar se livrar de fezes durante primeiro encontro

A descarga estragada do estabelecimento e ela havia tentado arremessar os dejetos na rua

Agência O Globo

Um primeiro encontro acabou de forma tão inusitada quanto constrangedora em South Wales, no Reino Unido: a mulher precisou ser resgatada por bombeiros depois de ficar presa, de cabeça para baixo, na janela do banheiro. Mas engana-se quem pensa que ela queria fugir do novo parceiro. Segundo o dono da casa, Liam Smyth, de 24 anos, a jovem tentava recolher as próprias fezes que ficaram entre duas estruturas de vidro da esquadria. Isto porque, com a descarga estragada, ela havia tentado arremessar os dejetos na rua.

O casal se conheceu no aplicativo Tinder e foi para a casa de Liam depois de um jantar. A mulher resolveu ir ao banheiro, mas não conseguiu dar descarga. Decidiu então jogar as fezes pela janela, mas não contava que o vidro não dava para o lado de fora da residência. Os dejetos caíram em um fosso de um metro e meio, por trás da janela, e ela revelou o impasse ao parceiro.



"Não desceu. Eu não sei como, mas eu entrei em pânico. Peguei do sanitário, envolvi em papel e joguei pela janela", tentou justificar a mulher, que não foi identificada.

Liam já buscava um machado para quebrar o vidro e resolver a situação quando viu a parceira subir na estrutura e, de cabeça para baixo, tentar alcançar as fezes com um saco plástico. Ginasta amadora, ela não se moveu por 15 minutos, segundo ele, e o jovem resolveu chamar os bombeiros por temer pela saúde dela.

O resgate chegou e teve a operação fotografada por Liam. Segundo o britânico, os bombeiros acharam a cena muito divertida e foram "brilhantes". A mulher não sofreu ferimentos.

O dono da casa ainda abriu uma vaquinha para custear a reforma dos danos da janela. Empáticos com a causa, internautas ultrapassaram o valor que o britânico precisava. Ao pedir 200 libras, já recebeu doações que somam 1,785 libras até a manhã desta quarta-feira. Com o "lucro", ele resolveu doar o excedente para organizações que levam o sistema de encanamento e descarga para quem não tem recursos.