Gente

Juliano Cazarré se posiciona após polêmica sobre ter recusado vacina contra Covid-19

O ator justificou a demora em receber o imunizante e destacou que será vacinado nesta quinta-feira (29)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O ator Juliano Cazarré decidiu se posicionar após a percussão da sua suposta recusa à vacinação contra Covid-19. A informação foi divulgada nesta terça-feira (27) pelo colunista Leo Dias, que destacou que o global poderia ser afastado do remake de Pantanal por causa da decisão.

 Através de um longo desabafo nos Stories do Instagram, ele explicou o que realmente aconteceu e ainda criticou as pessoas que estão lhe fazendo ameaças nas redes sociais. "A quantidade de gente que não abre um livro que preste, mas acredita em coluna de fofoca é impressionante. Pobre Brasil", iniciou Cazarré.

E seguiu: "Há alguns dias eu fiz uma consulta à produção de Pantanal sobre a situação da vacina, pois eu adquiri imunidade ano passado e já li textos falando que a vacina nesses casos pouco adianta e que uma nova carga viral pode ser prejudicial".

Apesar de destacar que estava receoso acerca do imunizante, o galã afirmou que tomaria a vacina caso fosse uma condição da emissora para sua participação na trama.

“Ao longo do final de semana conversei com um médico em quem confio, que me explicou mais sobre a vacina, tirou as dúvidas sobre o processo como são feitas e eu já tinha me decidido a tomar, assumindo os mesmos riscos que todos os vacinados. No posto me informaram que eu devo passar lá na quinta-feira (amanhã de tarde). É o que farei”.

Na sequência, o famoso ainda revelou que está recebendo muitas mensagens de ódio, inclusive desejando a sua morte e de seus filhos. “Aos meus seguidores queridos, eu peço que rezem uma Ave Maria por todos aqueles que vieram desejar a minha morte, de meus filhos. Rezem também uma Ave Maria pelo colega que sugeriu pegar meu lugar por estar vacinado. Ele é um grande ator e não merece estar nessa situação”, disse, mandando uma indireta para Armando Babaioff, que se ofereceu para ocupar a vaga do colega, já que está vacinado.

 Por fim, o ator de 40 anos chamou os críticos de "rebanho de muares" (mulas) e disse que já pode ser criticado novamente por sua religião e por ter outra "ideologia". "Ao rebanho de muares que veio me xingar por causa da vacina. Podem voltar a me xingar apenas pelos motivos de antes: minha opção religiosa e por eu não acreditar na mesma ideologia que vocês. Estou em oração por vocês também. Obrigado", escreveu.