Brasil

Luislinda desiste de representar governo em evento da ONU

Mesmo após demissão, ex-ministra foi designada para viagem à Suíça

Karla Gamba, da Agência O Globo

A ex-ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, desistiu de viajar à Suíça para participar de um evento do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). Mesmo após ter sido demitida do cargo, Luislinda foi designada para a viagem nesta quarta-feira por meio de um decreto, publicado no Diário Oficial, com a assinatura do presidente Michel Temer e do novo ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha.

Segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, a viagem já estava prevista e a ex-ministra havia sido indicada antes de sair do cargo. O Planalto informou ainda que, mesmo com sua saída do ministério, a indicação do governo se manteve pois a única exigência para participação no evento é que o participante tenha alguma relação com o tema. Os gastos com a viagem ficariam inteiramente a cargo do governo federal.

Foto: Reprodução
No início da tarde desta quarta-feira, no entanto, Luislinda afirmou que não poderia aceitar a indicação para participar do evento pois não chefiava mais a pasta. Em uma carta enviada ao presidente Temer, a ex-ministra alegou a impossibilidade de viajar e solicitou que as diárias e hospedagens fossem canceladas e devolvidas. A ministra não quis dar mais detalhes sobre sua desistência.

Luislinda Valois foi demitida do cargo de ministra dos Direitos Humanos na última segunda-feira. No período que esteve à frente da pasta, a ex-ministra protagonizou polêmicas, como quando solicitou que pudesse furar o teto salarial de servidor público, acumulando os salários de ministra e de desembargadora aposentada. Quando fez o pedido, Luislinda chegou a dizer que estava sendo vítima de "trabalho escravo", pois seus rendimentos como ministra não eram suficientes.