Empregos

Maternidade e carreira: veja dicas para conciliar sem sofrer

muitas tarefas que antes só poderiam ser executadas estando fisicamente na empresa hoje podem ser realizadas de qualquer lugar com acesso à internet ou uma linha telefônica

Redação Catho


Redação Catho


Atualmente, existem inúmeras opções e formatos de trabalho que favorecem as mães neste período pós-maternidade. Por conta da evolução tecnológica, muitas tarefas que antes só poderiam ser executadas estando fisicamente na empresa hoje podem ser realizadas de qualquer lugar com acesso à internet ou uma linha telefônica.


Opções de trabalho para mães

Por exemplo, as áreas administrativa, financeira, marketing, TI e RH têm potencial para proporcionar horários flexíveis de trabalho ou atuação de seus colaboradores em home office, desde que a empresa possua sistemas adequados e maturidade operacional para garantir o engajamento dos profissionais nestas condições.

As reuniões com os profissionais da empresa e clientes podem ser feitas por vídeo-conferência ou telefone e os documentos podem ser enviados pelo correio ou por e-mail quando digitalizados, facilitando a atuação de qualquer local, inclusive de casa.

Outra opção para a mãe que deseja trabalhar neste período é o empreendedorismo. Abrir um negócio que possa trabalhar de casa e gerar uma boa renda é uma realidade há anos. Talvez a mãe tenha uma experiência muito boa em determinada área e pode, simplesmente, oferecer esse serviço para outras empresas.

Atualmente, existem secretárias, contadoras, web designers, analistas de recrutamento e seleção que terceirizam os seus serviços auxiliando outras empresas nestas demandas. As pequenas empresas tendem a contratar profissionais autônomas, pois precisam de ajudas pontuais e o custo é muito menor do que se contratasse um profissional para atuar tempo integral na empresa.

Foto: Reprodução

Desafios para as mães que querem trabalhar de casa

Por outro lado, a profissional que deseja atuar de casa para estar mais próxima de seus filhos deve ter em mente que haverá novos desafios. O primeiro deles é adequar algum cômodo da casa para que se torne um home office e garanta as condições básicas para trabalhar (um computador com os softwares necessários instalados, os acessos remotos aos diferentes sistemas da empresa, acesso à internet com velocidade adequada, uma linha de telefone sempre disponível, etc.).

O segundo desafio é evitar, minimamente, as interrupções. Conversar com os filhos maiores e os outros adultos que moram na casa para respeitar o período no qual a mãe está trabalhando é fundamental. Estando em casa, os outros moradores podem ter dificuldade de entender que a profissional está trabalhando e podem demandar mais atenção.

Por isso, às vezes, essa conversa precisa ser realizada e repetida enquanto as interrupções acontecerem. Com o tempo, e com a persistência na comunicação, as pessoas entenderão e respeitarão os períodos de trabalho da mãe.

Ainda sobre as interrupções, que me parece ser o maior desafio, a profissional deve ter a clareza de que estará em casa para acompanhar o crescimento do filho e não para trabalhar com o filho. Para que a colaboradora mantenha o seu nível de produtividade é fundamental que ela trabalhe durante períodos de 40 a 50 minutos sem interrupções (podendo fazer intervalos de 10 a 20 minutos para atender as necessidades do bebê).

Exceto em alguns casos nos quais a criança demande maior atenção, a mãe é quem deve controlar e policiar o seu tempo e nunca a criança. Portanto, se necessário e possível, a mãe pode contar com a ajuda de outra pessoa (uma profissional contratada ou algum outro morador da casa) nos períodos em que precisa dedicar maior foco em suas atividades profissional para que continue e desempenhar um bom trabalho.


A quem recorrer em caso de dificuldades

No caso de dúvidas de como lidar com essas situações, a mãe pode procurar a ajuda de outras pessoas que passaram pela mesma situação. Ela pode encontrar esse auxílio na mesma empresa, conversando com as pessoas de seu ciclo de amizade ou, até mesmo, procurando grupos relacionados à maternidade nas redes sociais.

Com certeza, você encontrará o perfil de uma mãe que trabalha em casa e posta dicas de como lidar com esses desafios. Se estes auxílios não forem suficientes, busque um profissional que te ajude a superar sua dificuldade: um psicólogo quando apresentar problemas emocionais ou um coach se precisar ajustar os seus comportamentos à nova rotina.