Nem Te Conto

"Me sinto uma porta-voz contra o preconceito", diz Preta Gil

Antes de se apresentar no Criança Esperança, cantora revelou que já sofreu muito por ser negra e gordinha

Da Redação
- Atualizada em

Na noite do último sábado (18), a cantora Preta Gil participou do "Criança Esperança", no Rio de Janeiro. Nos bastidores do evento, a artista falou com a equipe da Revista Quem, sobre preconceito.


Durante o bate-papo, Preta revelou que já sofreu muito por ser gordinha e negra. Por conta disso, ela diz que se sente uma grande aliada na luta contra o preconceito. "Me sinto uma porta-voz contra o preconceito. E muito feliz pela campanha "Ser Diferente É Normal"", afirma.


Mãe de Francisco, que também é cantor, Preta conta que sempre educou o filho para não ser uma pessoa preconceituosa. "Como mãe, eduquei meu filho a nao julgar ninguém por preconceito, a conhecer a pessoa primeiro e só depois decidir se gosta ou nao da pessoa", explica.


Após ser chamada de pretenciosa por dizer que nos Jogos Olímpicos de 2016 ela, Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Gaby Amarantos seriam as nossas Spice Girls, a artista revelou não se importar com a crítica. "Não ligo, não acho que viajei na maionese. Sei meu tamanho e meu lugar. Somos quatro estrelas. Pior que se eu quisesse estaria no lugar da Marisa (Monte)", divertiu-se a cantora.