Eleições 2018

Médica rasga receita após paciente dizer que votou em Haddad no primeiro turno

"Eu nunca gostei de extremismos e estava me transformando em algo que não gosto. Agi por impulso", disse a profissional de saúde

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma médica que trabalha em um hospital público em Natal (RN) rasgou a receita de uma paciente idosos após ele dizer que votou no presidenciável Fernando Haddad (PT) no primeiro turno. O caso, que aconteceu nesta segunda-feira (08), foi confirmado pela própria médica, a infectologista Tereza Dantas, que diz estar arrependida do que fez. As informações são do G1 Rio Grande do Norte.

Foto: Reprodução/ TV Gabugi
De acordo com a apuração do G1, a médica avisou que passou o final de semana se recuperando de uma gripe e pensou até em não ir ao hospital, mas resolveu ir e afirmou à instituição que só iria atender os pacientes que tinham agendamento. Entretanto, como ela já conhecia o servidor aposentado José Alves de Menezes, que já havia trabalhado na unidade de saúde, ela resolveu atendê-lo.  

"Eu estava conversando com outras pessoas sobre a situação política do país e fiquei exaltada, no momento. Eu realmente rasguei (a receita), porque ele não votou no meu candidato. Fiz errado, não tenho dúvidas", disse a médica. Ela contou que tentou entrar em contato com o paciente para pedir desculpas, mas ele não atendeu aos telefonemas.

O idoso contou ao G1 que se sentiu constrangido com o ocorrido.  "Me senti ofendido. Passei vergonha na frente de todo mundo. No início, achei que era brincadeira e até ri", contou. O caso foi registrado em uma delegacia da capital.

José vai sempre ao hospital para pegar a receita do medicamento que toma todos os dias e disse que já conhecia a médica. "Ela sempre me tratou bem. Já chegamos a trabalhar juntos", disse.

Ele contou que quando a médica o viu no local já sabia o que ela queria, pediu que ele aguardasse, voltou com a receita em mãos e perguntou em quem ele tinha votado para presidente.

"Eu disse que votei no Haddad, ai ela disse: 'pois então não dou mais a receita', e rasgou. Duas ou três pessoas também viram", contou o aposentado. "Respondi na inocência. Nem sabia quem era o candidato dela. Nunca votei no PT, nunca fui fanático por partido nenhum. Essa foi a primeira vez que votei nele", relatou.

A médica disse que se arrependeu do feito antes mesmo da repercussão do caso. "Eu pedi perdão a Deus e pedi que ele me ajudasse a tirar de mim essa mágoa. Eu nunca gostei de extremismos e estava me transformando em algo que não gosto. Não deveria ter feito isso, eu sei. Agi por impulso e, por isso, peço desculpas", desabafou.