Mundo

Menina de 4 anos consola mãe que assistiu namorado ser baleado pela polícia

O fato aconteceu nos Estados Unidos e a criança estava com medo de perder a mãe

Agência O Globo

Imagens divulgadas pela Justiça de Minnesota mostram uma menina de 4 anos consolando a mãe, Diamond Reynolds, em um carro de polícia, minutos depois de a mulher assistir e transmitir pelo Facebook a morte do namorado. Philando Castilo, de 32 anos, levou vários tiros de um policial durante uma blitz, em um episódio que provocou protestos nos Estados Unidos no ano passado.

No vídeo, registrado a partir das câmeras da viatura policial, a pequena aparece tentando acalmar a mãe, que estava algemada e chorava em desespero. 

Foto: Reprodução 

"Eu estou aqui com você", dizia a menina, ao abraçar Diamond.

"Mãe, por favor, pare de condená-los (os policiais, pelos tiros) e de gritar. Eu não quero que você leve tiros", apelou a garota.

Com as mãos presas para trás, Diamond continuou a exibir e tensão ao vivo pela rede social. Depois, fechou a transmissão e apelou ao policial que a soltasse para que avisasse a mãe do namorado. Perguntou a ele se Castilo estava morto.

"Nós não estamos machucadas fisicamente. Mas, mentalmente, ganhei uma cicatriz para sempre (...) Por favor, o façam ficar bem", responde a mulher, abraçada pela criança, ao ser questionada se ela e a filha estavam feridas.

O agente denunciado pela morte, Jeronimo Yanez, acabou absolvido na última sexta-feira, o que reacendeu a dor de parentes e a indignação de afro-americanos. Eles denunciam o racismo da polícia americana. Castilo foi morto segundos depois de informar ao policial que portava uma arma. Ele tinha a posse regularizada. Os promotores sustentavam que o homem não era uma ameaça e que Yanez exagerou na reação.

Pouco depois dos tiros, a namorada Diamond, sentada no banco do carona, filmou o amado ensanguentado e acusou o crime. Ela e a filha foram levadas até o banco de trás do carro de polícia.  


Vídeo mostra ação policial

Nesta terça-feira, o vídeo da reação de Yanez foi divulgado pela primeira vez, dias depois de o agente ser absolvido. As imagens mostram o policial aproximar-se do carro de Castile e explicar que o fez parar por ter os faróis quebrados.

Após 30 segundos, Castile diz: "Senhor, tenho que dizer que tenho uma arma de fogo". O homem tinha uma permissão para o porte de armas. O policial responde: "Não a pegue então". A conversa dura somente oito segundos. O agente, então, dispara sete vezes contra o motorista.

Autoridades americanas alegaram que Yanez pensou que Castile se parecia com um suspeito de um assalto à mão armada ocorrido dias antes.