Educação

Ministro da Educação diz que Enem não corre risco

Weintraub afirmou que candidatos não devem se preocupar com a impressão da prova

Gustavo Maia e Victor de Farias, da Agência O Globo
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não corre risco e aconselhou os estudantes a estudarem pois a disputa é "acirrada". As falas sobre o caso foram dadas após uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, na tarde desta quinta-feira no MEC.
— Hoje eu acho que o Enem, assim como foi quando eu assumi, não representa uma ameaça. Continuem estudando pro exame, se preparem, porque a disputa é acirrada —  afirmou.
Weintraub defendeu que os brasileiros já têm muitas preocupações e a impressão da prova do Enem não precisa ser uma delas. — A sociedade, a população já tem muita preocupação. Não tem alarme, não tem nada. O dia que a gente falar 'olha, tem risco', a gente vai falar.
No começo de abril, a empresa responsável por imprimir as provas do Enem, RR Donnelley, decretou falência a poucos meses da aplicação da prova, que está programada para novembro. A gráfica é responsável pela impressão desde 2009.
Ontem, o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) contratasse uma nova empresa para a impressão das provas do Enem, devido a falência da RR Donnelley. Decisão que Weintraub considerou "muito compreensiva e colaborativa".