Mundo

Mulher afirma ter sido estuprada por médico durante cirurgia

Em depoimento à polícia, médico se defendeu alegando que o sexo foi "consensual"e disse que ouviu de Erika após a relação: "Estou me sentindo bem"

Agência O Globo

A  designer de moda russa Erika Bykova se submeteu a uma cirurgia para aumentar os seios, mas o que era para ser um procedimento estético simples virou um pesadelo.

Erika, de 35 anos, denunciou o seu anestesista. Segundo ela, Yury Chernikov, de 59, estuprou a designer na mesa de cirurgia em clínica estética em Samara (Rússia), enquanto ela estava sob efeito de anestésico.

Erika Bykova e Yury Chernikov Foto: Reprodução/NTV

Em depoimento à polícia, Chernikov se defendeu alegando que o sexo foi "consensual". O anestesista completou que ouviu de Erika após a relação: "Estou me sentindo bem".

"Perguntei a ela (durante o ato): Erika, você está se sentindo bem? Eu a estou machucando?. Ela respondeu: Sim, estou me sentindo bem", argumentou o médico à NTV.

Eu estava gemendo. Mas estava gemendo porque não conseguia gritar", disse a russa em entrevista a uma TV local.

"Naquele momento eu podia entender tudo o que se passava, mas minhas pálpebras estavam pesadas. Não conseguiar abrir os olhos totalmente. Tentei afastá-lo com as pernas, mas não consegui. Eu confiava nele", completou a designer, que é casada.

Chernikov, que também é casado, foi denunciado à polícia. O julgamento do caso ocorrerá no fim deste ano. O anestesista pode ser condenado a até seis anos de prisão.