Santa Casa

No Museu da Misericórdia, exposição ‘Artesãos da Fé’ traz obras em barro de figuras sacras

Mostra acontece desta quinta-feira (8) ao dia 16 de dezembro

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
Parte da cultura popular do Nordeste, os santeiros são aqueles artesãos que esculpem em barro figuras sacras. E no distrito de Maragogipinho, no Recôncavo baiano, a 58km de Salvador, três destes artistas mantêm essa tradição viva. O talento é tanto que Rozalvo Santanna, João Santanna e Emanoel Ismarques possuem obras espalhadas pelo mundo, já ganharam prêmios e expuseram em outros Estados. E as peças dos artistas terão ainda mais destaque de 8 de novembro a 16 de dezembro, quando estarão expostas no Museu da Misericórdia, da Santa Casa da Bahia, na exposição intitulada 'Artesãos da Fé'.
Foto: Divulgação
"Minhas obras passaram a ser conhecidas, as pessoas procuravam, mas minha produção era pouca. Por causa disso, comecei a ensinar meu irmão [João]. A partir daí, o Instituto Mauá começou a divulgar nosso trabalho e o primeiro concurso que eu ganhei foi um de presépio, lá no Pelourinho", contou o santeiro Rozalvo.

A mostra vai contar com mais de 40 esculturas confeccionadas pelos três artistas. Entre as obras, estão imagens de Santa Bárbara, várias Nossas Senhoras, São Jorge, entre outros santos.

Para a curadora da exposição, Simone Trindade, essa é uma oportunidade de valorizar este tipo de cultura e servirá como uma vitrine para os artistas - as obras expostas poderão ser compradas, com o valor integralmente revertido aos artistas. Quem tiver interesse, também poderá fazer encomendas aos três santeiros.

"Nós não valorizamos o que não conhecemos. Então, essa é uma oportunidade de ter contato com as obras e com os artistas. O Museu da Misericórdia já é um local que é considerado um guardião de memórias e sempre busca fazer esse paralelo com a cultura atual. É isso que será trazido nessa exposição", ressaltou.



Sobre os mestres santeiros

- João Santanna Sobrinho, 50 anos
Nascido e criado em Maragogipinho, é mestre santeiro há mais de 30 anos. É autoditada. Sempre teve habilidade natural para arte, começou a desenhar com sete anos de idade e um dia, ao ver o irmão Rozalvo produzir peças, percebeu que poderia fazer igual. João demora de três a quatro dias para produzir uma peça e afirma ser capaz de entregar qualquer trabalho em até 15 dias. Há oito anos, participou de uma exposição em São Paulo e também já expôs as peças no relógio de São Pedro, em Salvador. Tem fotos de suas obras no livro Santeiros da Bahia.

Foto: Divulgação
- Rozalvo Santana, 54 anos
Rozalvo é irmão mais velho de João, que aprendeu o ofício com ele. Rozalvo afirma ter peças vendidas para todo o Brasil e países do exterior. Cinco de suas peças estão expostas no Museu do Catete, no Rio de Janeiro. Rozalvo aprendeu a esculpir os santos em barro sozinho, é um autodidata. Ele mistura os estilos barroco e rococó, o que dá o movimento diferenciado às peças. Venceu um concurso de presépios do IPAC em 1998. Tem fotos de suas obras publicadas no livro Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana.

- Emanoel Ismarques Santos, 43 anos.
Desde criança tem contato com a cerâmica, já que os pais e outros parentes são ceramistas. Mas somente ele se enveredou para a arte sacra. Descobriu que tinha talento quando produziu uma imagem de Nossa Senhora da Conceição e vendeu. Emanoel recebe encomendas do Brasil inteiro. Ele usa mais o estilo barroco em suas obras, o que ajuda a valorizar o movimento.


Serviço:
O que: Exposição Artesãos da Fé
Onde: Museu da Misericórdia – Rua da Misericórdia, 6. Praça da Sé.
Quando: 8 de novembro a 16 de dezembro
Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia)