Empreendedorismo

Oito orientações valiosas: saiba como abrir uma startup do zero

Termo startup é usado para designar empresas com uma forte base tecnológica que, a partir de um insight inovador, conseguem solucionar uma demanda não atendida dos consumidores

Lívia Oliveira (livia.oliveira@redebahia.com.br )
- Atualizada em

Oferecimento
O sonho de transformar uma ideia inovadora em negócio, por meio de uma startup, tem feito cada vez mais parte da realidade dos soteropolitanos. De acordo com dados da Startup Base, Salvador ocupa o primeiro lugar no ranking das cidades nordestinas com mais startups cadastradas, são mais de 200 empresas. Mas você sabe o que é uma startup? Quais são os primeiros passos para começar uma e como se manter relevante no segmento? 

Para responder essas e outras questões, o iBahia conversou com Vanessa Vilela, presidente da Associação Baiana de Startups (ABAS) e compilou os conteúdos do Sebrae sobre empreendedorismo e inovação. 

O termo startup é usado para designar empresas com uma forte base tecnológica que, a partir de um insight inovador, conseguem solucionar uma demanda não atendida dos consumidores. Essa solução pode ser um serviço online, um aplicativo, um produto revolucionário ou até mesmo uma proposta inovadora para usar um produto/serviço específico. 

Para além de entender o conceito, é importante ter em mente algumas características comuns desse tipo de negócio: baixo capital inicial, equipe enxuta, impulsionamento por propósito e crescimento rápido sem necessariamente demandar muitos recursos. 

Imagem meramente ilustrativa | Crédito: pixabay

Confira o guia que preparamos com oito orientações para quem quer começar uma startup

Identificação do problema 

Defina qual necessidade do mercado você pretende resolver e de que forma pretende fazer isso. Avalie se já existem soluções para o problema. Em caso positivo, você precisa pensar o que vai oferecer de diferente, que transforma sua solução em algo inovador. 

Estudar bem o mercado e estruturar o negócio fará toda diferença. É preciso ter bem claro qual será o modelo do negócio, como será a comercialização do produto/serviço, como será a remuneração e de que forma empresa vai arcar com seus custos de montagem e sustentação. 

Validação da ideia 

Ao identificar o problema e definir a solução, é necessário saber se ele é viável através da validação da ideia.

"A validação é basicamente mitigar os riscos, para que você não tire uma ideia do papel sem saber se lá na frente terá aderência do cliente final. Existem várias formas de fazer isso como através de entrevistas e preenchimentos de formulários com o potencial cliente para saber se a solução de fato resolve a dor dele e se ele pagaria por isso", afirmou Vanessa Vilela. 

A presidente da ABAS também sinalizou que uma boa forma de validar é participar de editais e eventos como o Startup Weekend, onde o objetivo é tirar ideias do papel, formando grupos multidisciplinares para em um curto espaço de tempo criar modelos de negócios, validá-los, desenvolver protótipos e apresentar um pitch (apresentação curta e direta de como funciona o negócio) final para uma banca de jurados. Nesses eventos os empreendedores são apoiados por mentores experientes em todo o processo. 

"Para quem só tem a ideia, minha dica é comece por eventos de validação e a partir disso busque editais de aceleração e incubação, principalmente incubação. As incubadoras são instituições que disponibilizam ferramentas, conteúdo e mentoria para que o empreendedor consiga consolidar a ideia e de fato chegar a uma startup propriamente dita", acrescentou.

Foto: reprodução / Pixabay
Trocar experiências 

É importante conversar com pessoas que também estão empreendendo para entender sobre os desafios e necessidades do ecossistema. Além disso, em uma rede de apoio um empreendedor vai ajudando o outro com informações, contatos, dicas entre outros.

Busque investimentos 

Uma forma de potencializar o negócio é procurar por investimentos, para garantir dinheiro para contratar mão de obra, compra de equipamentos, ações de divulgação do negócio, etc. Existem várias alternativas para conseguir captar recursos. Entre eles: bootstrapping (financiamento com recursos próprios dos sócios), crowdfunding (recursos vem de pessoas físicas e são captados de forma coletiva) e investidores anjo (pessoa física ou jurídica que faz investimentos em empresas que estão começando e precisam de capital, ajuda para fazer conexões e conselhos). 

Montar a equipe 

Inicialmente, as startups começam apenas com sócios. A chave do sucesso é ter uma equipe de pessoas com formações e habilidades diversas, pois isso vai facilitar o processo para enfrentar todas as etapas e desafios do negócio. 

"O primeiro passo é encontrar uma pessoa de tecnologia, porque isso é o coração do negócio e a contratação desse profissional é algo muito caro. A dica é já começar a startup com um sócio de tecnologia, que você confie e possa levar para o decorrer", orientou Vanessa. 

Cuide da parte burocrática 

Com o auxílio de advogados e contadores, é importante formalizar a empresa. Ela precisa ter um CNPJ e estar registradas em diferentes órgãos oficiais (Receita Federal, Junta Comercial, Prefeitura, entre outros).

Tudo precisa ser planejado e organizado | Foto ilustrativa: reprodução / Pixabay

Como crescer e se manter no mercado 

Busque estratégias para promover sua startup, esteja sempre estudando sobre as novidades e tendências em seu mercado de atuação, e cultive networking (rede de contatos). 

"Tem três pontos importantes para se manter. Ter uma cultura organizacional forte para evitar rotatividade de equipe; ter uma receita recorrente, para isso vale transformar tudo que você puder em assinatura; e ter uma rede de parceiros, o networking vai te ajudar a chegar em lugares que sozinho você não chegaria", detalhou a presidente da ABAS. 

Conhecimento é poder 

Vale o empreendedor participar de palestras, feiras, workshops e cursos sobre o ecossistema. Além disso, acompanhe conteúdos sobre empreendedorismo e inovação em livros e sites. 

"Um livro que eu gosto muito é o Receita Previsível, de Predictable Revenue, ele ajuda você a pensar o produto, o negócio e aplicar uma máquina de vendas nele. Outro livro que é uma 'bíblia' do empreendedor de startup é o Lean Startup, de Eric Ries, que aborda os processos de validação, como criar e escalar a empresa de forma enxuta", indica Vanessa. 

Com relação aos conteúdos digitais, Vanessa aconselha conferir o material do Sebrae e acompanhar o portal All Saints Bay, que reúne várias informações sobre o ecossistema, realização de eventos e abertura editais.