Economia

Organize-se: veja seis dicas de planejamento financeiro para aplicar durante a crise

Ações ajudam a diminuir os impactos negativos causados neste momento cenário

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus tem dificultado a organização de muitas pessoas. Por conta disso, a educação financeira é um dos principais fatores para diminuir os efeitos negativos que essa situação pode causar. 

Nesse sentido, é preciso ter cautela e planejar bem as ações relacionadas à renda. Por isso, a Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros) separou algumas sugestões de como manter a organização nesse momento e evitar maiores danos para o bolso. Confira abaixo:

1. Faça a fotografia da nova realidade financeira
Agora, é preciso saber o quanto está sendo gasto para tentar equilibrar o orçamento. Anote todas as despesas e veja o que pode ser reduzido, economizado, eliminado ou postergado. O controle realista da saída do dinheiro é vital para preservar reservas, e até mesmo tentar aumentá-las, e também para não se endividar. Foque no que é prioridade!

2. Fique de olho nas oportunidades
Toda crise pode ser vista como uma oportunidade. Nesse caso, veja de que outra forma é possível manter suas atividades remuneradas, como home office, atendimento de clientes online, sistema de delivery, entre outros. Observe as necessidades dos clientes com esse cenário de pandemia e veja como as suas habilidades podem ser inseridas no contexto, possibilitando a geração de renda e serviços.

3. Não tenho uma reserva de emergência, e agora?
Caso você não tenha se planejado para esse momento, o jeito é manter a calma, rever as contas e organizar as finanças para ver onde é possível poupar recursos. É também a hora de refletir sobre a importância de ter um planejamento financeiro para eventualidades e emergências como a que estamos vivendo. E se tiver um dinheiro guardado, uma reserva, mesmo que pequena, tente preservar ao máximo esses recursos.

4. Busque renegociações de dívidas
Não tenha vergonha de tentar renegociar uma dívida, um aluguel ou qualquer despesa. Isso pode trazer fôlego no orçamento. Renegocie taxas de juros, prazos de pagamento e veja as possibilidades que os bancos estão oferecendo nesse momento. Acompanhe também as medidas anunciadas pelo governo, pesquise e compare as instituições de mercado e veja o que mais se encaixa na sua realidade.

5. Organize seu tempo e cuide do bem-estar
É normal se sentir angustiado por não estar conseguindo cumprir todas as demandas e realizar todos os planos que você se propôs a fazer durante o período de isolamento social. A ansiedade pode ser a pior inimiga nesse momento, pois ela reflete na tomada de decisões, e em alguns casos pode resultar em compras desnecessárias, por exemplo. Tenha cuidado para não descontar seu emocional nas suas finanças.

6. Mantenha a calma
Falar não significa que a prática seja fácil. Manter a calma é o maior desafio de quem está enfrentando dificuldades e aperto no bolso, segundo os especialistas do setor. Por isso, as orientações anteriores, se realizadas pouco a pouco, com organização, comprometimento e foco, podem auxiliar na busca por alternativas e soluções.

Segundo os profissionais certificados pela Planejar, o planejamento financeiro é um aprendizado a ser levado para toda a vida. “O maior benefício do planejamento financeiro é a tranquilidade e a liberdade das finanças. Visualizar as opções e tomar decisões responsáveis sobre consumo e investimentos possibilita a realização de objetivos, promovendo o autoconhecimento a partir da definição de objetivos de curto, médio e longo prazo, resultando em uma melhor qualidade de vida”.