Arte e Decoração

Para se inspirar: saiba como deixar a decoração bonita, prática e com sua personalidade

Para acertar na escolha do estilo, o primeiro passo é buscar referências de projetos já executados e observar qual mais combina com a sua personalidade e gostos pessoais.

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Quer arrasar na decoração da sua casa? Se sim, o primeiro passo é ter certeza do estilo de decoração que deseja, pois essa escolha determina desde as cores das paredes, linguagem do mobiliário, estilo dos objetos decorativos e, em muitos casos, a definição se haverá o rebaixamento do teto a execução do forro de gesso. 

Para acertar na escolha do estilo, o primeiro passo é buscar referências de projetos já executados e observar qual combina mais a sua personalidade e gostos pessoais. 

Os profissionais Ieda e Carina Korman, Cristiane Schiavoni, Henrique Freneda, Karina Korn, Bruno Moraes e Paula Dantas e Danielle Dantas prepararam uma lista com dez estilos de decoração e suas principais características para você se inspirar. Confira:

1- Estilo contemporâneo: as principais características que definem o estilo contemporâneo é a opção por móveis de linhas retas e sofisticadas, um visual clean, e uma paleta de cores neutras e claras. Ao aplicar uma base com tons que vão de um cinza claro à nuances de bege, por exemplo, a arquiteta pode escolher aplicar o vigor de cores como o preto, azul e o vermelho em itens como almofadas, mantas e quadros.

Projeto Karina Korn Arquitetura| Foto: Eduardo Pozella

Materiais como madeira, mármore, vidro e itens metálicos também se fazem presente nesse estilo decorativo e tornam o visual mais elegante. Quando o assunto é estampa, entram em cena as padronagens mais sutis, como o geométrico, em uma paleta clara e neutra, e estão presentes em papéis de parede e tapetes.

2- Estilo Industrial: o estilo realça alguns atributos de antigas fábricas, como tubulações e tijolos aparentes. A decoração traz algumas atualizações: se a parede não for construída em tijolinho, a matéria-prima é notabilizada pelo brick, revestimento com uma espessura bem menor e em diferentes tonalidades.

Projeto de Bruno Moraes | Foto: Luis Gomes

No mobiliário, a mistura de elementos a madeira rústica, o ferro envelhecido e até mesmo peças de design entre os elementos da composição. As paredes também recebem o efeito de cimento queimado, garantido por materiais bem mais fáceis de aplicar, como tintas que garantem o efeito.

Para a decoração, elementos vintage entram em cena. Máquinas de escrever e fotográficas analógicas entram como itens decorativos. Assim como quadros abstratos, itens geométricos ou em cobre.

3- Minimalismo: o termo ‘menos é mais’ tem muito a dizer sobre esse estilo, que tem o branco e tons muito claros como predominante. Nos ambientes, apenas aquilo que é necessário para o dia a dia dos moradores. Nada de adornos desnecessários e peças rebuscadas, nos ambientes projetados sob esse estilo. Design clean e leveza na composição sintetizam o minimalismo.

Projeto do escritório Dantas & Passos Arquitetura.|Foto: Julia Ribeiro

“A decoração minimalista é baseada na sobriedade. A extravagância e o excesso são cuidadosamente substituídos por uma atmosfera baseada na simplicidade onde cada móvel, objeto e elemento tem a sua função e sua razão de existir no cômodo”, explica Paula Passos, sócia de Danielle Dantas no escritório Dantas & Passos Arquitetura.

Projeto Ana Yoshida | Foto: Sidney Doll

4- Estilo retrô: é pautado na utilização de móveis e objetos modernos que contam com um design que remete ao passado. O ambiente pode ser totalmente decorado com as peças inspiradas nos anos de 1960 e 70, assim como trazer peças pontuais, que evoquem o design. 

Entre os itens preferidos, o sofá com pé palito, estampas grandes e coloridas em papeis de parede e eletrodomésticos com bordas arredondadas são os preferidos de quem aprecia a decoração.

A paleta traz tonalidades vibrantes e quentes, como o vermelho, amarelo e laranja. O azul-claro também está presente no estilo e é muito lembrado por ter sido muito destacado em carros da época, como a Kombi e o Fusca.



5-  Estilo moderno: representa uma quebra entre o clássico e rebuscado, em que as peças ornamentadas dão lugar a linhas retas e objetos funcionais e com propósito. O duo preto e branco são protagonistas. A partir dessas tonalidades, cinza e bege também são usados como base dos ambientes. E tons mais fortes, como os primários (azul, vermelho e amarelo) entram em usos pontuais no ambiente. O aço inoxidável cromado também compõe os ambientes.

Projeto do escritório Dantas & Passos Arquitetura.|Foto: Maura Mello

Nos móveis, as linhas retas são a grande pedida. Esse fascínio pelas linhas ortogonais também serve como base para os layouts dos espaços. No décor, os móveis são posicionados ao longo de uma linha imaginária, criando uma ordem geométrica. No quesito itens decorativos, a máxima seguida é a mesma do minimalismo, onde o menos é mais. Nada de itens desnecessários sobrecarregando o visual do espaço: no estilo moderno, só entram as peças essenciais aos moradores.

6- Rústico: perfeito para quem busca trazer a atmosfera do campo para dentro ou fora de casa, o estilo rústico explora as texturas e imperfeições dos elementos naturais na composição dos ambientes. Entre as escolhas mais comuns desse estilo estão elementos como pedras, vime, madeira, cerâmica, linho, palha e couro.

Projeto de Bruno Moraes | Foto: Luis Gomes

A aparência desgastada das peças também é valorizada. É o caso dos móveis de madeira com pintura em pátina, por exemplo, assim como metais com aparência de oxidados e louças com toque vintage.

A paleta de cores traz o marrom da madeira em harmonia com tons claros que garantem leveza e frescor para a decoração. Explorar flores e plantas em estampas de sofás e almofadas são uma opção. 

7- Estilo Escandinavo: decoração com características como o minimalismo, a simplicidade e a funcionalidade. O estilo explora a luminosidade e claridade dos ambientes. Esse estilo explora elementos neutros e claros, como branco, cinza e o bege.

Foto: reprodução

Para quebrar a frieza das tonalidades predominantes, a madeira entra em cena trazendo conforto visual e aquecendo os ambientes. Assim como estofados com texturas que aquecem o ambiente, as mantas de maxitricot e pelúcia.

8. Provençal: valoriza os elementos naturais como a madeira e as flores em uma composição romântica. Neste estilo, a madeira clara ou pintada de branco é a preferência para compor os ambientes e os móveis revelam linhas arredondadas e detalhes ornamentados, assim como a aparência de envelhecidos.          

 Projeto do Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Para a decoração, as flores entram em cena em grandes arranjos ou nas estampas em almofadas e estofados, deixando a composição bem delicada.  Abajures e lustres de cristal também são superbem-vindos, já que remetem a um clima mais intimista.

9- Colonial: o estilo é inspirado na arquitetura do período colonial no Brasil, que derivou das antigas construções europeias. Assim, esse tipo de decoração traz uma releitura de casa de fazenda, que deveriam privilegiar o conforto e a sofisticação que os portugueses colonizadores não abriam mão.

 Projeto Henrique Freneda| Foto: GN Produtora

A madeira maciça é muito utilizada nas composições coloniais, e estão presentes desde o piso até os móveis e objetos decorativos. Até o sofá pode trazer a estrutura de madeira escura, com o estofado em tecidos que podem ser lisos ou trazer estampas como listras e flores, mas em tons claros.

Projeto Cristiane Schiavoni| Foto: Carlos Piratininga
10- Oriental: neste estilo, exageros não tem vez. Os ambientes decorados com estilo oriental precisam trazer a harmonia em primeiro plano, contando com equilíbrio de formas e elegância. Isso porque esse tipo de decoração deve proporcionar a sensação de tranquilidade e paz aos ambientes.

Entre os itens orientais preferidos pelos brasileiros estão o biombo, a cama-futon, e elementos decorativos que trazem a árvore cerejeira – símbolo da cultura japonesa que traz como simbolismo a vida, o amor e a felicidade.

Fontes: Ieda e Carina Korman, do Korman Arquitetos; Cristiane Schiavoni, do Cristiane Schiavoni Arquitetura; Henrique Freneda, do Freneda Interiores; Karina Korn, do Karina Korn Arquitetura; Bruno Moraes, do Bruno Moraes Arquitetura; e Paula Dantas e Danielle Dantas, do Dantas & Passos Arquitetura.