Eleições 2018

Participação em debates 'depende de Bolsonaro', volta a dizer médico

Presidenciável tem afirmado que a ida aos debates será decidida por avaliação clínica e estratégia política

Agência O Globo
- Atualizada em

Após uma nova avaliação clínica nesta quinta-feira, o médico responsável pelos cuidados do candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro , voltou a afirmar que a participação em debates de TV e em agendas públicas dependerá do próprio capitão da reserva. 

A informação foi confirmada ao GLOBO pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo, médico do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, por um mensagem de WhatsApp, após ele ter deixado a casa de Bolsonaro sem falar com a imprensa. Questionado se o candidato poderia ir a debates e atos de campanha, o cirurgião respondeu: "depende dele."

Foto: Reprodução/Agência Brasil

No dia 25 de setembro, o cirurgião já havia falado ao GLOBO que Bolsonaro estava em "ótimas condições" e poderia ir aos debates se quisesse. No dia 1° de agosto, também em conversa com a reportagem, voltou a dizer que não via problema na participação se o candidato mantivesse um bom estado de saúde

Um nota oficial, divulgada após a visita de cerca de duas horas, informou que Bolsonaro foi submetido a uma avaliação médica multiprofissional, de exames de imagem e laboratoriais, que se mostraram estáveis. "Apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia", registra o comunicado. A nota foi complementada quarenta minutos depois: "Ainda permanece como fator limitante relativo a presença da colostomia", informa sem mencionar as atividades que o candidato não pode fazer.

O presidenciável tem afirmado que a ida aos debates será decidida por avaliação clínica e estratégia política. Ele ainda não deu a palavra final se enfrentará o adversário Fernando Haddad (PT) na TV, mas já declarou que quem "conversa com poste é bêbado", referindo-se ao fato do petista ser o candidato indicado pelo ex-presidente Lula, preso em Curitiba.

Adversário de Bolsonaro no segundo turno, Fernando Haddad (PT) tem explorado na propganda eleitoral e durante entrevistas que o seu rival tem receio de debater por não ter propostas para o país.

Há ainda dois debates previstos entre presidenciáveis na televisão, o da Record, neste domingo, dia 21, às 22h; e o da TV GLOBO, no próximo dia 26 de outubro, às 21h30min.