Mundo

Polícia vê ato terrorista em atropelamento na cidade de Londres

O motorista do veículo foi detido por um grupo de policiais

Agência O Globo
- Atualizada em

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas depois que um carro se chocou nesta terça-feira contra as barreiras de segurança colocadas em frente ao Parlamento britânico em Londres. O motorista do veículo foi detido por um grupo de policiais. Segundo a Scotland Yard, ele é suspeito de "crimes de terrorismo" e tem entre 25 e 30 anos.

"Às 7h37 (3h37 de Brasília), um automóvel avançou contra as barreiras diante do Parlamento. O motorista foi detido pelos policiais presentes no local. Vários pedestres ficaram feridos", afirmou inicialmente a polícia no Twitter.

A Polícia Metropolitana de Londres disse que o incidente, o mais recente aparente ataque no Reino Unido nos últimos 18 meses, está sendo tratado como relacionado com terrorismo, e informou que seu comando de combate ao terrorismo está liderando a investigação.

Os policiais cercaram o automóvel de cor prata logo depois da colisão e algemaram o motorista. As ruas próximas à Praça do Parlamento de Westminster foram fechadas para o tráfego. A estação do metrô de Westminster, próxima ao Parlamento, foi fechada e o prédio está isolado. Ninguém tem permissão para entrar no edifício.

"O motorista do carro foi preso no local por oficiais armados", disse a polícia em comunicado. "Ele foi preso por suspeita de infrações terroristas. Não havia mais ninguém no veículo, que permanece na cena e está sendo examinado. Nenhuma arma foi recuperada até o momento".

VÍDEO MOSTRA DETENÇÃO DO MOTORISTA

A polícia afirmou que nenhuma das vítimas apresenta ferimentos graves, mas ao menos duas pessoas foram internadas num hospital da região. O número oficial de feridos não foi divulgado. Segundo a imprensa local, dez carros da polícia e três ambulâncias estão na região do Parlamento.

Imagens publicadas no Twitter pelo jornalista Vincent McAviney, da "Euronews NBC", mostram o momento da detenção do motorista pelos agentes da força de segurança.



— Eu estava caminhando o outro lado. Ouvi um barulho e alguém gritou — contou Ewalina Ochab à agência britânica Press Association. — Eu me virei e vi um carro prata em alta velocidade e muito perto das barreiras, talvez sobre a calçada.

A testemunha Jason Williams disse que o carro se chocou com força numa barreira numa via usada para acessar o prédio do Parlamento. Ele disse acreditar que o ato foi deliberado.

— Foi muito sério. Havia fumaça saindo do carro — contou. — Vi ciclistas feridos, e umas dez pessoas na rua na hora, mas não vi vítimas fatais.

ONDA DE ATENTADOS EM 2017

O Reino Unido foi cenário em 2017 de uma onda de atentados, quatro deles reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que deixaram 36 mortos e 200 feridos. Um dos ataques aconteceu em março na ponte de Westminster, diante do Parlamento.

A primeira-ministra Theresa May declarou no Twiitter que "meus pensamentos estão com as pessoas feridas no incidente em Westminster, e agradeço aos serviços de emergência por sua resposta imediata e corajosa".

O Parlamento está em recesso no momento, e a premiê está em férias fora do Reino Unido. Mas a Comissão de Resposta a Emergências do governo britânico vai se reunir ainda hoje para discutir medidas a serem tomadas sobre o caso.